Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Alginac possui ação antineurítica! Veja sua bula.

    Alginac possui ação antineurítica! Veja sua bula.

    Alginac é um medicamento anti-inflamatório com ação analgésica e antineurítico, sendo indicado para as seguintes condições:

    - Lombalgias (dores na região inferior das costas);

    - Cervicalgias (dores na região posterior ou lateral do pescoço);

    - Braquialgias (dores nos braços);

    - Radiculite (inflamação da raiz de um nervo);

    - Neuralgia intercostal/periféricas de etiopatogenia diversa/ faciais/ do trigêmeo/ herpética (dor nos nervos que suprem os músculos entre as costelas);

    - Síndrome do túnel do carpo (dor, alterações da sensibilidade ou formigamentos no punho);

    - Fibromialgia (dor crônica que migra por vários pontos do corpo e se manifesta especialmente nos tendões e nas articulações);

    - Espondilite (inflamação das vértebras).

    O que é?

    Este medicamento é uma combinação de três vitaminas neurotrópicas essenciais (B1, B6 e B12) em altas doses com o diclofenaco, um anti-inflamatório não-esteroidal (AINE). As vitaminas B1, B6 e B12 apresentam especial importância para o metabolismo no sistema nervoso periférico e central.

    Seus efeitos sobre a regeneração dos nervos têm sido demonstrados em diversas investigações usando as vitaminas individualmente e em combinação.

    Além disso, as vitaminas do complexo B proporcionam um efeito sinérgico à ação antinociceptiva do diclofenaco na dor mista.

    Interações medicamentosas:

    O efeito da L-dopa pode ser reduzido quando piridoxina é administrada concomitantemente. Antagonistas da piridoxina, como isoniazida, ciclosserina, penicilamina e hidralazina, podem diminuir a eficácia de piridoxina.

    Devido à reabsorção tubular reduzida, a eliminação da tiamina pode ser acelerada com o uso prolongado de diuréticos de alça como a furosemida e, portanto, o nível sanguíneo da tiamina pode ser reduzido. A ingestão concomitante de outros AINEs, glicocorticoides ou inibidores da recaptação da serotonina pode aumentar o risco de ulceração gastrointestinal e hemorragia.

    O diclofenaco pode aumentar a eficácia dos inibidores da agregação plaquetária ou de anticoagulantes como a varfarina. O diclofenaco pode aumentar os níveis séricos de digoxina, fenitoína, lítio, diuréticos poupadores de potássio ou metotrexato. O diclofenaco pode aumentar a toxicidade renal da ciclosporina. O diclofenaco pode diminuir a eficácia de diuréticos ou de anti-hipertensivos. Medicamentos contendo probenecida ou sulfinpirazona podem prolongar a excreção do diclofenaco.

    Nomes comerciais:

    Alginac Comprimido; Alginac Retard; e Alginac Injetável.

    Formas de tomar:

    Um comprimido duas a três vezes ao dia. Os comprimidos devem ser engolidos inteiros, com um pouco de líquido, preferencialmente após as refeições.

    Duração do tratamento

    A duração do tratamento fica a critério médico. Recomenda-se que a duração do tratamento de preferência seja a mais curta possível.

    Composição:

    Cada comprimido revestido contém:

    Vitamina B12 (cianocobalamina) .....................................................................1.000 mg 

    Vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) ............................................................... 50 mg

    Vitamina B1 (nitrato de tiamina) ......................................................................... 50 mg 

    Diclofenaco sódico ............................................................................................... 50 mg

    Excipientes: talco, estearato de magnésio, lactose, celulose microcristalina, carmelose sódica, dióxido de silício coloidal, Eudragit RL 30D, macrogol, dióxido de titânio, simeticona, citrato de trietila, metilparabeno, propilparabeno, povidona, corante vermelho FDC nº 6

    Efeitos colaterais:

    Podem ocorrer as reações indesejáveis descritas a seguir (as frequências são definidas em muito comuns (> 1/10); comuns (>1/100 e < 1/10); incomuns (> 1/1.000 e < 1/100); raras (> 1/10.000 e < 1/1.000); muito raras (< 1/10.000); frequência não conhecida (que não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis).

    Distúrbios do sangue e sistema linfático

    − Muito raros: trombocitopenia, leucopenia, anemia hemolítica, anemia aplástica, agranulocitose.

    Distúrbios do sistema imunológico

    − Frequência desconhecida: certas reações de hipersensibilidade, como sudação, taquicardia, ou reações cutâneas com prurido e urticária.

    − Raros: certas reações de hipersensibilidade, como hipotensão, edema, reações anafiláticas.

    Distúrbios psiquiátricos

    − Raros: desorientação, insônia, irritações psicóticas.

    Distúrbios do sistema nervoso

    − Frequência desconhecida: vertigem, confusão, cefaleia, fadiga.

    − Raros: parestesia, alterações da sensibilidade e da memória.

    Distúrbios oculares

    − Raros: alterações visuais.

    Distúrbios do ouvido e labirinto

    − Raro: zumbido.

    Distúrbios cardíacos

    − Frequência desconhecida: retenção de líquidos, edema, hipertensão; eventos arteriais trombóticos, como infarto do miocárdio ou AVC.

    Distúrbios gastrintestinais

    − Frequência desconhecida: dor abdominal, náusea, vômitos, diarreia, dispepsia, flatulência, anorexia.

    − Incomuns: exacerbação de colite ulcerativa ou doença de Crohn, gengivoestomatite, lesões esofágicas, glossite, constipação.

    − Raros: ulceração gastrointestinal, hemorragia, perfuração, alterações do paladar.

    Distúrbios hepatobiliares

    − Frequência desconhecida: elevação dos níveis das enzimas hepáticas (ALAT, ASAT), dano hepatocelular, particularmente com tratamentos prolongados; hepatite com ou sem icterícia.

    Distúrbios da pele e do tecido subcutâneo

    − Muito raros: erupção bolhosa, eczema, eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica, dermatite esfoliativa, alopecia, reações de fotossensibilidade.

    Distúrbios urinários e renais

    − Raros: hematúria, proteinúria, insuficiência renal aguda.

    Gravidez:

    A combinação de tiamina, piridoxina e cianocobalamina não induziu efeitos teratogênicos e embriotóxicos em coelhos e ratos. Não existem relatos de efeitos teratogênicos associados em humanos. Dados clínicos e pré-clínicos refletem a segurança de uso das vitaminas B1, B6 e B12 durante a gravidez. 

    Foi demonstrado que o diclofenaco inibe a implantação e o desenvolvimento embrionário em ratos. Administrado na fase final da gravidez, também pode provocar fechamento prematuro do canal arterial, O diclofenaco pode induzir embriopatia. Assim, Alginac não deve ser utilizado durante a gravidez. 

    Categoria de risco X. 

    Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

    Lactação:

    A tiamina, a piridoxina e a cianocobalamina são excretadas para o leite humano, porém os riscos de uma superdose para o bebê não são conhecidos. O diclofenaco tem sido encontrado no leite humano em pequenas quantidades. Desta forma, Alginac somente é recomendado para uso durante a lactação se tratamento com um AINE é claramente necessário.

    Contraindicações:

    − Hipersensibilidade a qualquer um dos princípios ativos ou excipientes da fórmula;

    − Histórico de broncoespasmo, asma, rinite ou urticária relacionado a tratamento prévio com AINEs;

    Úlcera péptica aguda, hemorragia gastrointestinal ou histórico de úlcera péptica ou de hemorragia;

    − Hemorragia cerebrovascular aguda ou outras hemorragias graves;

    − Insuficiência renal grave (depuração de creatinina < 30 ml/min);

    − Insuficiência hepática grave (níveis de ALT/AST > 30 vezes o limite superior);

    − Insuficiência cardíaca grave (NYHA classe IV);

    Gravidez;

    − Em crianças abaixo de 12 anos de idade, devido ao alto teor de diclofenaco.

    • Imosec

      Imosec

      0 apresentações
      sem oferta :(
      sem oferta :(