Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Ansiedade: Saiba tudo sobre!

    Ansiedade: Saiba tudo sobre!

    Como resposta natural do seu corpo ao estresse, a ansiedade é um sentimento de medo ou apreensão sobre o que está por vir. Se sentir ansioso(a) para o primeiro dia de aula, ir à uma entrevista de emprego ou fazer um discurso é normal e pode fazer com que a maioria das pessoas sinta nervosismo. Mas, se seus sentimentos ansiosos são extremos, duram muito tempo e estão interferindo em sua vida, você pode estar passando por um transtorno.

    É completamente normal se sentir ansioso(a) em alguns momentos da vida. É um sentimento comum que vem e vai, mas não interfere sua rotina e nem sua vida. No caso de um distúrbio, o sentimento de medo é constante e intenso, e esse tipo de sentimento pode parar você e, se não tratada, o quadro pode piorar.

    Você sabia? O Brasil é o país com o maior número de pessoas diagnosticadas com ansiedade!

    O que é:

    Distúrbio de ansiedade é o mais comum entre os distúrbios emocionais. Apesar de mulheres serem mais propensas a serem diagnosticadas em relação ao homens, pode afetar qualquer um, independente da idade, gênero ou raça.

    Um distúrbio de saúde mental é caracterizado por sentimentos excessivos de preocupação e/ou medo que são fortes o bastante para interferir nas atividades diárias do paciente. Apesar do preconceito em volta dessa doença, transtorno de ansiedade é uma condição médica séria como qualquer outra condição de manifestação física.

    Assim como outros distúrbios mentais, pode se manifestar em sintomas psicológicos e físicos. Os sintomas psicológicos mais comuns são: constante tensão e nervosismo, problemas para se concentrar, medo constante, irritabilidade, problemas para dormir e sensações constantes de que algo ruim vai acontecer. Dentre os sintomas físicos, os mais frequentes são: tremores, tensão muscular, suor excessivo, náuseas e respiração ofegante.


    Causas:

    As causas para transtornos emocionais são complexas e podem variar muito de pessoa para pessoa, por isso, não se sabe exatamente porque algumas pessoas estão mais propensas a desenvolver a doença do que outras.

    Alguns fatores como: genética, ambiente estressante e doenças como problemas cardiovasculares, hormonais e dores crônicas, além do abuso de drogas, álcool e medicamentos são causas comuns para a manifestação do distúrbio.É importante também lembrar que alguns eventos também podem ser gatilhos para o desenvolvimento da doença, como acidentes, situações de estresse extremo, morte na família, etc.


    Tipos de ansiedade:

    Existem vários tipos de distúrbios ansiosos. Os mais comuns são:

    Transtorno de ansiedade generalizada (TAG):

    A maioria das pessoas com essa condição mostra uma excessiva preocupação e medo por longos períodos de tempo. Essa preocupação e medo podem causar problemas sérios nas áreas da vida, como interações sociais, trabalho, etc. Os sintomas incluem: fadiga, irritabilidade, tensão muscular, dificuldades em se concentrar, dificuldade para controlar emoções e problemas para dormir.


    Transtorno obsessivo compulsivo (TOC):

    É um distúrbio psiquiátrico e sua principal característica é a presença de crises recorrentes de pensamentos obsessivos, intrusivos e em alguns casos comportamentos compulsivos e repetitivos, que podem muitas vezes ocupar um dia inteiro e trazer consequências negativas na vida social e profissional do paciente.


    Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT):

    Pode acontecer com qualquer um que experienciou algum evento traumático que causou algum choque ou medo. Tem efeitos a longo prazo, como flashbacks, dificuldade para dormir e comportamento ansioso. A TEPT pode acompanhar a pessoa por anos, mas há tratamento para que o paciente se recupere.



    Transtorno do pânico:


    Pacientes com distúrbios de pânico apresentam recorrentes ataques de pânico, que são períodos repentinos de medo intenso que atingem seu pico em minutos. Esses ataques ocorrem inesperadamente e podem ocorrer por conta de algum gatilho, como algum objeto ou situação que pode causar medo, como lugares fechados, animais, etc... Durante o ataque de pânico, o paciente pode sofrer palpitações aceleradas no coração, suor excessivo, tremores, respiração ofegante, engasgos e sentimentos de medo descontrolados.


    Fobia social:

    Pessoas com fobia social têm um medo intenso de situações sociais, se preocupando com atitudes e comportamentos serão vistos de forma negativa, levando o paciente a sentir envergonhado. Isso faz a pessoa a evitar situações sociais, como trabalho, escola, etc. Em alguns casos mais extremos, o paciente tem medo de estar em lugares abertos com muitas pessoas, como transporte público ou em alguma via pública.


    Fobias específicas:

    Fobias não são como distúrbios de ansiedade, pois estão relacionadas com uma causa específica. É o medo irracional por algum objeto, animal ou situação em particular, mas mesmo assim, provoca sentimentos ansiosos extremos. A fobia não segue uma lógica e o comportamento ansioso nesses casos é incoerente com o perigo que aquilo representa realmente.


    Dicas:

    • Relaxe! Distúrbios ansiosos estão muito relacionados à ambientes e situações estressantes. Por isso, utilize técnicas de relaxamento como meditação e respiração;

    • Diminua o consumo de cafeína: O consumo excessivo de cafeína também está relacionado a crises emocionais;

    • Diminua o tabaco e o álcool: Eles são um gatilho para pacientes com predisposição a desenvolverem a doença;

    • Faça terapia: A terapia é muito importante tratamento auxiliar para quem sofre distúrbios e doenças mentais em geral;

    • Movimente o corpo! A prática de exercícios físicos está relacionada com a melhora de transtornos emocionais;

    • Visite um psiquiatra! Um profissional pode te indicar o melhor tratamento para a melhora do quadro da doença.


    Tratamento:

    Caso o transtorno esteja relacionado a alguma doença física, o tratamento adequado já trará alívio dos sintomas ansiosos. Mas, se o paciente sofre o transtorno em si, o tratamento pode ser realizado e abordado de diversas maneiras, por meio de medicamentos, terapia e outras medicinas alternativas.

    Em alguns casos, o paciente pode tratá-la sem supervisão médica, mas não é recomendado ou efetivo em casos severos ou em pacientes que há possuem a longo prazo. O tratamento inclui: prática de esportes, técnicas de relaxamento e terapia. Mas lembre-se, nenhum tratamento substitui um diagnóstico e análise médica, se sua ansiedade prejudica sua vida, procure um profissional qualificado.

    Encontre o médico ideal para tratar a sua ansiedade ou qualquer outro sintoma que esteja te incomodandoaqui.


    Remédios indicados:

    Hidroxizina: É um medicamento usado para o tratamento de transtornos emocionais, principalmente transtorno de ansiedade generalizada (GAD), além de outras doenças como dermatite, urticária e dermografismo.

    • Lactuliv

      Lactuliv

      1 apresentações
      R$ 11,58
      R$ 11,58

    Sertralina: É um medicamento indicado para o tratamento de sintomas de distúrbios emocionais, além de outros distúrbios como TOC, transtorno do pânico, transtorno de estresse pós-traumático e tensões pré-menstruais.

    • Lactuliv

      Lactuliv

      1 apresentações
      R$ 11,58
      R$ 11,58

    Paroxetina: É um medicamento indicado para o tratamento de sintomas de transtorno depressivo severo.

    • Lactuliv

      Lactuliv

      1 apresentações
      R$ 11,58
      R$ 11,58

    Lorazepam: É um medicamento indicado para o tratamento de distúrbios associados a sintomas depressivos.

    • Lactuliv

      Lactuliv

      1 apresentações
      R$ 11,58
      R$ 11,58

    Clonazepam: É um medicamento indicado para o tratamento de distúrbios emocionais (como distúrbio do pânico e fobia social), além de transtornos bipolares e depressão. Também é indicado para tratamento de distúrbios epilépticos.

    • Lactuliv

      Lactuliv

      1 apresentações
      R$ 11,58
      R$ 11,58

    Buspirona: É um princípio ativo indicado no tratamento de distúrbios de emocionais severos e alívio a curto prazo dos sintomas acompanhados ou não de depressão.

    Oxprenolol: Pode ser muito úteis em pessoas com sintomas somáticos intensos, também é muito utilizado no tratamento de dores de peito, arritmia cardíaca e pressão alta muito elevada.

    Nadolol: Pode ser muito úteis em pessoas com sintomas somáticos intensos, também é muito utilizado para o tratamento de pressão alta e dores no peito.

    Imipramina: É um princípio ativo utilizado no tratamento de todas as formas de depressão e ansiedade, além de alcoolismo crônico, transtorno de pânico e dores crônicas em geral.