Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Atorvastatina: entenda do medicamento e seus benefícios!

    Atorvastatina: entenda do medicamento e seus benefícios!

    O medicamento atorvastatina é indicado para o tratamento de colesterol alto – principalmente quando há respostas a dietas e outras medidas que não eficazes nesses casos.

    O medicamento em cálcica é indicado para prevenir a síndrome coronária aguda e de complicações cardiovasculares em pacientes que sofrem de diabetes, pressão alta, HDL, fumantes ou que já tenham um histórico familiar de doenças cardíacas precoces – ele reduz o risco de que outras complicações surjam no decorrer da vida, como infarto do miocárdio, derrame, procedimentos para desobstrução das artérias, hospitalização por insuficiência cardíaca congestiva e de angina!

    Você pode encontrar as mais variadas ofertas e promoções deste remédio em nosso site!


    O que é

    A atorvastatina cálcica no formato de comprimidos revestidos, é indicada para tratar, servindo como adjunto, pacientes que possuem níveis elevados de colesterol total, lipoproteína baixa, apolipoproteína B e de triglicérides. Também pode aumentar os níveis de lipoproteína de alta densidade em pacientes que sofrem de hipercolesterolemia primária, hiperlipidemia combinada, que tenham níveis elevados de triglicérides séricos e para pacientes com disbetalipoproteinemia que não respondem de forma adequada a dieta!

    Além disso, pode reduzir o colesterol total e tratar da lipoproteína de baixa densidade em pacientes que possuem hipercolesterolemia familiar homozigótica – mas estes apenas quando a resposta a dietas e outras medidas farmacológicas forem descartadas por um médico!

    Lembre-se, o medicamento em destaque deve ser administrado junto a um médico – pois ele irá ditar a redução ou aumento da dosagem de acordo com o tratamento. Procure o melhor profissional da área da saúde para atendê-lo aqui!


    Interações medicamentosas

    O risco de miopatia durante o tratamento com inibidores da HMG-CoA redutase se apresenta aumentado com a administração concomitante de ciclosporina, fibratos, niacina em doses que alteram o perfil lipídico ou inibidores do citocromo P450 3A4, por exemplo, eritromicina e antifúngicos azólicos.

    Medicamento – Inibidores do CYP 3a4

    O medicamento é metabolizada pelo CYP 3A4. A administração concomitante de atorvastatina com inibidores do CYP 3A4 pode levar a aumentos na concentração plasmática do medicamento em destaque. A extensão da interação e potencialização dos efeitos dependem da variabilidade dos efeitos sobre o citocromo P450 3A4.

    Medicamento – Inibidores do Transportador OATP1B1

    A atorvastatina e os metabólitos do mesmo são substratos do transportador ânion orgânico-transporte polipéptido (OATP1B1). Os inibidores de OATP1B1 (por exemplo, ciclosporina) podem aumentar a biodisponibilidade do medicamento em destaque. A coadministração do medicamento em destaque de  10mg e ciclosporina 5,2mg/kg/dia resultou em aumento de 7,7 vezes na exposição do medicamento em destaque.

    Medicamento – Eritromicina/claritromicina

    A coadministração do medicamento em destaque com eritromicina (500mg, quatro vezes ao dia ou a cada 6 horas) ou claritromicina (500mg, duas vezes ao dia ou a cada 12 horas), inibidores conhecidos do citocromo P450 3A4, foi associada a concentrações plasmáticas mais elevadas do medicamento em destaque.

    Medicamento – Inibidores de Protease

    A coadministração de atorvastatina e inibidores de protease, inibidores conhecidos do citocromo P450 3A4, foi associada ao aumento nas concentrações plasmáticas do medicamento em destaque.

    Medicamento – Cloridrato de diltiazem

    A coadministração do medicamento em destaque (40mg) com diltiazem (240mg) foi associado com concentrações plasmáticas maiores do medicamento em destaque; cimetidina: um estudo de interação de atorvastatina com cimetidina foi realizado e não foi observada interação clinicamente significativa.

    Medicamento – Antiácidos

    A coadministração do medicamento em destaque com um antiácido na forma de suspensão oral contendo hidróxido de magnésio e de alumínio provocou uma diminuição nas concentrações plasmáticas do medicamento em destaque (aproximadamente 35%); entretanto, a redução no LDL-C não apresentou alterações.

    Medicamento – Colestipol

    As concentrações plasmáticas do medicamento em destaque foram menores (aproximadamente 25%) quando o colestipol foi administrado com o mesmo. Entretanto, os efeitos nos lípides foram maiores quando a atorvastatina e colestipol foram coadministrados em comparação à administração isolada de qualquer um dos fármacos.

    Medicamento – Digoxina

    Quando foram coadministradas doses múltiplas de digoxina e do medicamento em destaque 10mg, as concentrações plasmáticas no estado de equilíbrio não foram afetadas. Entretanto, as concentrações de digoxina aumentaram (aproximadamente 20%) após a administração diária de digoxina com atorvastatina 80mg. Pacientes utilizando digoxina devem ser monitorados adequadamente.

    Medicamento – Contraceptivos orais

    A coadministração do medicamento em destaque com um contraceptivo oral contendo noretindrona e etinilestradiol aumentou a área sob concentração versus valores da curva tempo os valores de (AUC) da noretindrona e do etinilestradiol em aproximadamente 30% e 20%. Estas elevações devem ser consideradas na escolha do contraceptivo oral em mulheres utilizando o medicamento em destaque.


    Remédios com atorvastatina em sua composição

    Ateroma; Atorvasterol; Caduet; Citalor; Corastorva; Kolevas; Lipigrand; Lipistat; Lipitor; Lipthal; Obviso; Torvaris; Torvilip; Vast; Volunta e Zarator.


    Nomes Comerciais

    Este medicamento pode ser visto sob a forma genérica ou através dos nomes comerciais a seguir:

    - Atorless;

    - Ateroma;

    - Atorvasterol;

    - At Lor;

    - Corastorva;

    - Citalor;

    - Kolevas;

    - Lipistat;

    - Lipthal;

    - Lípitor;

    - Lumirarte;

    - Obviso;

    - Torvilip;

    - Torvaris;

    - Vast;

    - Volunta;

    - Zarator.


    Formas de tomar

    A posologia do medicamento mencionado no artigo depende da idade e do peso do paciente:

    Hipercolesterolemia primária e hiperlipidemia combinada

    Recomenda-se uma dose de 10mg, administradas em uma dosagem única e diária. Há sinais evidentes de melhora dentro de 2 semanas, e resposta máxima depois de até 4 semanas!

    Hipercolesterolemia familiar homozigótica

    Recomenda-se uma dose de 80mg, administradas em uma dosagem única e diária. Estudos mostraram que pacientes responderam a esse tipo de dosagem com uma redução maior que 15% no LDL-C.

    Recomenda-se inicialmente, para crianças entre 10 e 17 anos, uma dose de 10mg, administradas uma vez ao dia – sendo a dosagem máxima de 20mg/dia. Os ajustes podem ser feitos em intervalos de 4 semanas ou mais, dependendo do tipo de tratamento e da orientação médica.

    Os comprimidos desse medicamento não devem ser mastigados, partidos ou abertos!


    Efeitos colaterais

    Os efeitos que podemos observar após a ingestão do medicamento são febre, dor de garganta, mal-estar, ganho de peso, má digestão, gases, hiperglicemia, dor nas articulações, sangramento nasal, dor nas extremidades, náusea, dor abdominal, espasmos musculares, cansaço, dor cervical, dor nas costas, destruição das células musculares, dor muscular e dores no musculo-esqueletico.

    Em casos um pouco mais isolados e raros, podem incluir visão turva, hepatite, aumento da creatina fosfoquinase sanguínea, erupção cutânea bolhosa, eritema multiforme, trombocitopenia, descamação grave da camada superior da pele, alterações na função do fígado, zumbido no ouvido, alergias na pele e síndrome de Stevens-Johnson.


    Contraindicações

    O medicamento em destaque é contraindicado para pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente presente na fórmula do produto; pacientes que possuam doenças hepáticas ativas ou elevações persistentes inesperadas das transaminases séricas, excedendo 3 vezes o limite superior de normalidade; pacientes menores de 10 anos de idade e mulheres no período de gestação, que estejam amamentando ou em idade fértil que não estejam utilizando medidas contraceptivas eficazes!