Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Clinfar: reduzindo os riscos de doenças cardiovasculares!

    Clinfar: reduzindo os riscos de doenças cardiovasculares!

    O medicamento clinfar é indicado para o tratamento da redução de riscos à saúde por conta de doenças cardiovasculares.

    Esse fármaco é essencial para quem tem alguma doença arterial coronariana (DAC), diabetes, histórico de derrame ou qualquer outra doença vascular – pois ele reduz os riscos de infarto ou derrame; reduz necessidade de cirurgias, reduz hospitalização por dor no peito; retarda e reduz o desenvolvimento de aterosclerose; e controla adequadamente o nível de colesterol no sangue.

    COMPARE AQUI OS MELHORES PREÇOS DESTE MEDICAMENTO!

    • Floratil

      Floratil

      7 apresentações
      R$ 25,41
      R$ 25,41

    Você pode encontrar as mais variadas ofertas e promoções deste remédio em nosso site!


    O que é

    Clinfar consegue reduzir os níveis do mau colesterol e de substâncias gordurosas chamadas triglicérides, aumentando assim os níveis do bom colesterol no sangue. O medicamento pertence à classe dos inibidores da hidroximetilglutaril-coenzima A (HMG-CoA) redutase.

    Os excipientes de clinfar no formato de 10mg são:ácido ascórbico, ácido cítrico, amido, butil-hidroxianisol, celulose microcristalina, dióxido de titânio, estearato de magnésio,hipromelose, lactose monoidratada, óxido de ferro vermelho, talco e triacetina.

    Os excipientes do medicamento em destaque no formato de 20mg são: ácido ascórbico, ácido cítrico, amido, butil-hidroxianisol, celulose microcristalina, dióxido de titânio, estearato de magnésio, hipromelose, lactose monoidratada, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro amarelo, talco, triacetina.

    Os excipientes do medicamento em destaque no formato de 40mg são: ácido ascórbico, ácido cítrico, amido, butil-hidroxianisol, celulose microcristalina, dióxido de titânio, estearato de magnésio, hipromelose, lactose monoidratada, macrogol, óxido de ferro amarelo, óxido de ferro vermelho, polidextrose, talco, triacetina.

    Lembre-se, o medicamento em destaque deve ser administrado junto a um médico – pois ele irá ditar a redução ou aumento da dosagem de acordo com o tratamento. Procure o melhor profissional da área da saúde para atendê-lo!


    Interações medicamentosas

    Você deve informar a qualquer médico que lhe prescrever um novo medicamento que você está tomando o medicamento em destaque.

    É muito importante informar ao seu médico se você for tomar o medicamento em destaque associado a qualquer um dos medicamentos listados a seguir, pois o risco de problemas musculares nessa situação é maior:

    Agentes antifúngicos (como o itraconazol, cetoconazol, posaconazol ou voriconazol); inibidores da protease do HIV (tais como indinavir, nelfinavir, ritonavir e saquinavir); agentes antivirais para hepatite C (tais como boceprevir, telaprevir, elbasvir e grazoprevir); os antibióticos eritromicina, claritromicina, telitromicina e ácido fusídico; o antidepressivo nefazodona; medicamentos contendo cobicistate; ciclosporina; danazol; derivados do ácido fíbrico (como a genfibrozila e o benzafibrato); amiodarona (medicamento utilizado para o tratamento de arritmias cardíacas); verapamil, diltiazem ou anlodipino (medicamentos utilizados para o tratamento de hipertensão arterial, angina ou outras doenças cardíacas); lomitapida (um medicamento utilizado para tratar uma condição genética grave e rara de colesterol).

    Também é importante informar ao seu médico se estiver tomando anticoagulantes (medicamentos que evitam a formação de coágulos sanguíneos), tais como varfarina e femprocumona ou acenocumarol, colchicina (um medicamento utilizado para gota), ácido nicotínico ou fenofibrato, outro derivado do ácido fíbrico.

    Medicamento – Interação alimentícia

    O suco de toranja (grapefruit) possui componentes que interferem no metabolismo de certos medicamentos. Evite o consumo de suco de toranja durante o tratamento.


    Nomes Comerciais

    Este medicamento pode ser visto sob a forma genérica ou através dos nomes comerciais a seguir:

    - Cordiron;

    - Lipistatina;

    - Lipotex;

    - Liptrat;

    - Menocol;

    - Mevilip;

    - Revastin;

    - Sinvax;

    - Sinvastamed;

    - Sinvasmax;

    - Sinvastacor;

    - Sinstiphar;

    - Sinvaston;

    - Sinvascor;

    - Sinvalip;

    - Sinvastin;

    - Sinvatrox;

    - Unak;

    - Vaslip;

    - Vastatil;

    - Zocor.


    Formas de tomar

    A posologia do medicamento mencionado no artigo depende da idade e do peso do paciente:

    Geralmente, recomenda-se uma dose inicial de 20 a 40mg ao dia – que deve começar a agir em cerca de 2 semanas. A posologia deste medicamento pode variar conforme a necessidade do paciente e a prescrição médica!


    Efeitos colaterais

    Caso o paciente apresente sintomas de dor, sensibilidade ou/e fraqueza muscular, deve procurar imediatamente um médico.

    Os efeitos colaterais por conta de clinfar inclui os sintomas de dor, cãibra muscular, fraqueza, sensibilidade, inchaço da face, língua e garganta, dor muscular grave nos ombros e quadril, hipersensibilidade, erupção cutânea, inflamação das articulações, inflamação dos vasos sanguíneos, hematomas incomuns, falta de ar, mal-estar, febre, rubor, lúpus, inflamação do fígado, coceira, inflamação do pâncreas, anemia, dormência ou fraqueza dos braços e pernas, dor de cabeça, tontura, formigamento, constipação, gases, indigestão, diarreia, náusea, vômito, queda de cabelo, insônia, memória fraca, confusão e perda de memória.

    Em raras ocasiões, problemas musculares podem ser graves, incluindo rompimento muscular, resultando em dano renal que pode ser fatal. O risco de ruptura muscular é maior para pacientes que tomam doses mais altas.


    Contraindicações

    O medicamento clinfar é contraindicado para pacientes que possuem hipersensibilidade ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente presente na fórmula do produto.

    Além disso, ele não é recomendado para pessoas que sofrem com doenças ativas e graves do fígado; mulheres no período de gestação ou/e amamentação; indivíduos que estejam administrando os seguintes medicamentos:

    • · Alguns medicamentos antifúngicos (como itraconazol, cetoconazol, posaconazol ou voriconazol);
    • · Inibidores da protease do HIV (como indinavir, nelfinavir, ritonavir e saquinavir);
    • · Certos inibidores da protease do vírus da hepatite C (tais como boceprevir ou telaprevir);
    • · Certos antibióticos (como eritromicina, claritromicina ou telitromicina);
    • · O antidepressivo nefazodona;
    • · Medicamentos contendo cobicistate;
    • · Genfibrozila (um derivado do ácido fíbrico para redução do colesterol);
    • · Ciclosporina;
    • · Danazol.

    Características Farmacológicas

    A Sinvastatina é um agente redutor do colesterol derivado sinteticamente de um produto de fermentação doAspergillus terreus.

    Após a ingestão, a Sinvastatina, uma lactona inativa, é hidrolisado ao β hidroxiácido correspondente. Esse é o principal metabólito e é um inibidor da 3-hidróxi-3-metilglutaril-coenzima A (HMG-CoA) redutase, uma enzima que catalisa um passo precoce e limitante da taxa de biossíntese do colesterol. Estudos clínicos mostram que a Sinvastatina é altamente eficaz para reduzir as concentrações plasmáticas do colesterol total, do LDL-colesterol, dos triglicérides e do VLDL-colesterol e para aumentar o HDL-colesterol nas formas familiar heterozigótica e não familiar de hipercolesterolemia e na hiperlipidemia mista, quando o colesterol elevado for preocupante e a dieta apenas for insuficiente.