Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Dorflex: entenda mais sobre sua eficácia!

    Dorflex: entenda mais sobre sua eficácia!

    Dorflex é um medicamento indicado para tratar e aliviar sintomas de dor de cabeça tensionais e outras dores associadas a contraturas musculares. É recomendado apenas para adultos, sendo encontrado nos formatos de comprimido, solução oral e até mesmo adesivo – este sendo recomendado para dores e inflamações localizadas.

    Com prescrição médica, o dorflex pode ser usado até mesmo no tratamento da dengue, pois a dipirona sódica presente na composição é capaz de aliviar os sintomas de dor e febre provocadas pela doença!

    Você pode encontrar as mais variadas ofertas e promoções deste remédio em nosso site!


    O que é

    O dorflex tem em sua composição 3 compostos fundamentais, sendo eles a dipirona sódica, citrato orfenadrina e a cafeína anidra – responsáveis pelas propriedades analgésicas e relaxantes musculares do medicamento em destaque.

    Seu mecanismo de ação se dá por esses 3 compostos. O citrato de orfenadrina é um anticolinérgico, com ação e propriedades anti-histamínicas fracas, capaz de auxiliar no alivio de dores associadas a contraturas musculares, de origem traumática ou inflamatória. Além disso, essa substância também atua no organismo através de propriedades analgésicas, potencializado pela dipirona sódica e a cafeína anidra.

    Os excipientes presentes no formato comprimido do dorflex são amido de milho, talco, estearato de magnésio e amidoglicolato de sódio.

    No formato de solução oral, podemos destacar os seguintes excipientes presentes: Benzoato de sódio, propilenoglicol, bissulfito de sódio anidro, essência de menta e água purificada.

    Lembre-se, o medicamento em destaque deve ser administrado junto a um médico – pois ele irá ditar a redução ou aumento da dosagem de acordo com o tratamento. Procure o melhor profissional da área da saúde para atendê-lo aqui!


    Interações medicamentosas

    Medicamento – Propoxifeno

    O uso frequente de orfenadrina com propoxifeno pode causar sintomas como confusão, tremores e princípios de ansiedade.


    Medicamento – Fenotiazínicos

    Os fenotiazínicos, como a clorpromazina, podem interferir no controle da temperatura corporal, causando tanto diminuição quanto aumento da temperatura corporal. A dipirona pode potencializar eventual diminuição da temperatura corporal causada por fenotiazínicos.


    Medicamento – Antipsicóticos

    Agentes anticolinérgicos, como a orfenadrina, não controlam a discinesia tardia (movimentos involuntários) associada ao uso prolongado de antipsicóticos. Seu uso pode mesmo exacerbar os sintomas neurológicos envolvidos na coordenação dos movimentos (de liberação extrapiramidal) associados a estas drogas.


    Medicamento – Ciclosporina

    A dipirona pode causar redução dos níveis de ciclosporina no sangue. Deve-se, portanto, realizar monitorização das concentrações de ciclosporina quando utilizada com dipirona.


    Medicamento – Metotrexato

    O uso de dipirona com metotrexato pode aumentar a toxicidade sanguínea do metotrexato particularmente em pacientes idosos. Portanto, esta combinação deve ser evitada.


    Medicamento – Ácido acetilsalicílico

    A dipirona pode reduzir o efeito do ácido acetilsalicílico na agregação plaquetária (união das plaquetas que atuam na coagulação), quando administrados concomitantemente. Portanto, essa combinação deve ser usada com precaução em pacientes que tomam baixa dose de ácido acetilsalicílico para cardioproteção.


    Medicamento – Bupropiona

    A dipirona pode causar a redução na concentração sanguínea de bupropiona. Portanto, recomendase cautela do uso de dipirona com bupropiona.


    Medicamento – Exame laboratoriais

    Foram reportadas interferências em testes laboratoriais que utilizam reações de Trinder (por exemplo: testes para medir níveis séricos de creatinina, triglicérides, colesterol HDL e ácido úrico) em pacientes utilizando dipirona.


    Nomes Comerciais

    Este medicamento pode ser visto sob a forma genérica, similar ou através dos nomes comerciais a seguir:

    - Miorrelax;

    - Nevralgex;

    - Anador;

    - Ana-flex;

    - Doricin (Comprimido ou gotas);

    - Lisador Dip;

    - Sedalex;

    - Relaflex;

    - Relaxmed;

    - Mexalgina (Comprimido ou gotas);

    - Fenaflex-ODC;

    - Dipimed;

    - Dorciflexin;

    - Alivdip;

    - Royflex;

    - Flexalgex;

    - Flexdor;

    - Doralflex;

    - Sedalex;

    - Bioflex.


    Formas de tomar

    A posologia do medicamento mencionado no artigo depende da idade do paciente:

    Comprimido

    Recomenda-se uma dose de 1 a 2 comprimidos, até 4 vezes ao dia. Para evitar efeitos desagradáveis, nunca se deve exceder 8 comprimidos por dia. O recomendado é ingerir o comprimido inteiro de dorflex com água, após uma refeição leve. Nunca mastigue ou parta o medicamento!


    Solução oral

    Recomenda-se uma dose de 30 a 60 gotas, até 4 vezes ao dia. Para evitar efeitos desagradáveis, nunca se deve exceder 240 gotas por dia. O recomendado é ingerir a solução pura, sem a mistura de água.


    Efeitos colaterais

    Os efeitos colaterais que o dorflex pode proporcionar ao paciente podem variar entre boca seca, sede, coceira, redução ou aumento do ritmo cardíaco, batimentos irregulares do coração, palpitações, diminuição do suor, dificuldade em urinar, visão embaçada, pupila dilatada, aumento da pressão dentro do olho, fraqueza, enjoo, vômito, dor de cabeça, tontura, prisão de ventre, sonolência, reações de alergia, alucinações, agitação, tremor, irritação no estômago com sintomas como dor no estômago e sensação de estômago cheio.


    Contraindicações

    O medicamento dorflex é contraindicado para mulheres grávidas ou que estejam amamentando, crianças com menos de 12 anos de idade, pacientes com glaucoma, obstrução pilórica ou duodenal, acalasia do esôfago, hipertrofia prostática ou obstrução do colo da bexiga, a pacientes com miastenia grave, doenças metabólicas como porfiria aguda do fígado intermitente ou deficiência congênita da glicose-6-fosfato-desidrogenase, a pacientes com função da medula óssea insuficiente, doenças do sistema hematopoiético ou com historial de reações alérgicas a analgésicos como salicilatos, paracetamol, diclofenaco, ibuprofeno, indometacina e naproxeno e para pacientes com alergia aos derivados de pirazolonas ou a pirazolidinas ou a outros componentes da fórmula.


    Precauções

    Caso seu tratamento com dorflex tenha uma duração prolongada, é recomendado a realização regular de exames ao sangue – os que permitem ter um controle da função e saúde do fígado e rins. Além disso, durante o tratamento com o medicamento em destaque, deve-se tomar cuidado ao dirigir veículos, pois o medicamento, em doses fortes, pode prejudicar a capacidade motora.

    Os tratamentos diversos com o dorflex nunca devem ser interrompidos sem o consentimento de um médico ou profissional da saúde. Horários, dosagem e duração devem ser seguidos corretamente.