Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Herpes labial: entenda como combater os incômodos.

    Herpes labial: entenda como combater os incômodos.

    A herpes labial é uma infecção viral da área da boca, causada pelo vírus da herpes simples. É bastante comum e contagiosa, e mais da metade da população carrega esse vírus – mas poucas pessoas o desenvolvem de fato.

    É um incômodo que interfere na estética da boca, além de provocar dores, ardência e até coceira. Quando surgem pequenas bolhas avermelhadas na região do limite dos lábios, pode ser um sinal de que a doença está agindo no paciente. Há dois tipos de herpes, a HSV-1 e a HSV-2.

    A herpes labial se constitui em ciclos, podendo aparecer por um período de dias e desaparecendo durante semanas. Apesar disso, durante o verão, a doença está mais propensa a reativação – pois a exposição solar pode levar a baixa imunidade, o que faz o vírus dar as caras novamente. Fique atento aos protetores labiais durante essa época!

    Você sabia? As mulheres grávidas estão muito mais propensas a desenvolver uma herpes labial ou genital!


    O que é

    A herpes labial é uma infecção que causa bolhas e feridas nos lábios – podendo atingir a língua ou as gengivas. Depois de uma infecção inicial, o vírus fica dormente dentro das células nervosas da face do paciente. Em períodos, o vírus se reativa e retorna com as feridas.

    Essa doença geralmente não é grave, mas as recaídas são comuns. Vários pacientes optam por tratar os episódios recorrentes com cremes, batons hidratantes ou pomadas prescritas por um profissional da área. Os sintomas podem desaparecer sem tratamento em poucas semanas.

    O formigamento na região dos lábios pode ser um sinal de alerta, indicando que o ciclo da doença está prestes a aparecer em alguns dias!

    A herpes labial possui três estágios de infecção:

    • Primária: É nesse estágio que as feridas e outros sintomas se desenvolvem, se reproduzindo na mucosa ou no tecido da boca. Em alguns casos, o vírus não causa os incômodos, podendo ser nomeado de estágio assintomático
    • Latência: O período em que o vírus está se movendo nas massas do tecido labial, adentrando o tecido nervoso. Este é um período de reprodução, e quando há uma pausa no ciclo – tornando-se inativo.
    • Recorrente: Este pode ser o período de gatilho para o vírus acordar novamente, trazendo consigo as feridas indesejáveis. Os fatores podem ser inúmeros, mas os comuns são: exposição ao sol, estresse, problemas emocionais, lesões na região dos lábios ou ressecamento.



    Causas

    A herpes labial é o resultado de um vírus da herpes simples do tipo 1. Essa infecção inicial geralmente ocorre antes dos 20 anos, afetando os lábios e áreas ao redor da boca.

    É possível contrair o vírus com o contato pessoal de alguém que já o possua ativo. Objetos infectados também são alvos de contágio, como: toalhas, lâminas, utensílios de higiene, canudos, itens compartilhados e etc.

    Após o primeiro estágio da infecção, o vírus permanece dentro das células nervosas do corpo pelo resto da vida da pessoa. Isso significa que os sintomas não estarão sempre presentes. Porém, certos eventos podem acordá-lo, esses eventos podem incluir: febre, alto estresse, fadiga, calor, sistema imunológico fragilizado, períodos menstruais, trabalho ou cirurgia odontológica.

    Apesar de inofensiva, a herpes labial pode se apresentar como alguma condição clínica mais grave, por isso, é necessário o acompanhamento médico nos casos em que os sintomas são descontrolados e com um grau elevado de piora.


    Tipos

    HSV-1

    Esse é o tipo mais comum do vírus da herpes simples, e muitas pessoas tem seu primeiro contato com ela no decorrer da infância. Pode ser visto nos lábios, mucosa e rosto, causando feridas e lesões ao redor dos lábios e no tecido mole da boca. Quando a doença está muito próxima dos olhos, essa herpes pode atacar a região, causando uma reação conjuntiva. A transmissão desse tipo é mais comum pelo contato íntimo, saliva ou perdigotos infectados.

    Em casos muito específicos, a infecção pode atingir o cérebro – mais precisamente seu revestimento, causando meningoencefalite.


    HSV-2

    A herpes simples do tipo 2 pode ser contraída através do contato íntimo ou sexual com outra pessoa que já possua o vírus. Esse tipo é mais comum ser visto na região genital ou nos lábios (devido ao sexo oral desprotegido) – que provoca bolhas e muita coceira no local afetado. Alguns pacientes que possuem o HSV-2 não possuem o estágio de infecção da latência.


    Dicas

    • Evite utilizar os mesmos itens pessoais de outras pessoas;
    • Gelo e panos quentes ajudam a diminuir coceira ou outros incômodos da lesão;
    • Não mexa na ferida com as mãos sujas;
    • Evite morder a ferida na boca;
    • Caso as feridas estejam muito avermelhadas, procure um médico;
    • Não beije ou tenha contato mais íntimo com pessoas com herpes labial;
    • Protetores labiais são ótimos aliados contra o sol.


    Tratamento

    Atualmente essa doença não tem cura, e o tratamento se concentra em se livrar das feridas, diminuir os ciclos e acalmar os sintomas de bolhas e coceira. Geralmente as feridas desaparecem sem nenhum tratamento específico, mas um médico pode receitar medicamentos para ajudar nesse processo.

    Alguns remédios podem reduzir o risco de disseminação do vírus para outras pessoas ou diminuir a intensidade e frequência dos ciclos.

    Mas lembre-se, nunca se automedique sem a prescrição de um profissional da área da saúde! É essencial que você obtenha remédios específicos para seu quadro de herpes labial pois o abuso e ingestão de medicamentos fora do recomendado pode provocar um surto ainda maior de feridas e sintomas desagradáveis!

    Caso ainda esteja preocupado e com dúvidas sobre sua herpes labial, encontre o médico que atenda às suas necessidades aqui!


    Remédios indicados

    Aciclovir: Medicamento indicado para o tratamento de herpes zoster, infecções de pele e mucosa por herpes simples, e prevenção de infecções recorrentes de herpes. Encontrado no formado de creme dermatológico, injetável ou pomada

    • Etodolaco

      Etodolaco

      1 apresentações
      sem oferta :(
      sem oferta :(

    Valaciclovir: Indicado para o tratamento e prevenção de herpes zoster e herpes simples.


    Fanciclovir: Medicamento indicado para o tratamento de infecções agudas por herpes zoster e herpes genital.