Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Maxalgina: o medicamento para acabar com suas dores e febres!

    Maxalgina: o medicamento para acabar com suas dores e febres!

    O medicamento maxalgina é indicado para o tratamento de dores e febres – agindo como analgésico e antitérmico!

    Você pode encontrar as mais variadas ofertas e promoções deste remédio em nosso site!


    O que é

    A maxalgina tem como base principal a dipirona – muito utilizada no tratamento das manifestações dolorosas e febre. Os efeitos analgésicos e antitérmicos podem ser esperados em 30 a 60 minutos após a administração e geralmente persistem por aproximadamente 4 horas.

    Lembre-se, o medicamento em destaque deve ser administrado junto a um médico – pois ele irá ditar a redução ou aumento da dosagem de acordo com o tratamento. Procure o melhor profissional da área da saúde para atendê-lo aqui!


    Interações medicamentosas

    Medicamento – Medicamento

    A dipirona pode causar redução dos níveis de ciclosporina no sangue. As concentrações da ciclosporina devem, portanto, ser monitoradas quando a dipirona é administrada concomitantemente.

    A administração concomitante de dipirona com metotrexato pode aumentar a toxicidade sanguínea do metotrexato particularmente em pacientes idosos. Portanto, esta combinação deve ser evitada.

    Medicamento – Interação Alimentícia

    Não há dados disponíveis até o momento sobre a interação entre alimentos e dipirona.

    Medicamento – Exames Laboratoriais

    Não há dados disponíveis até o momento sobre a interferência de dipirona em exames laboratoriais.


    Nomes Comerciais

    Este medicamento pode ser visto sob a forma genérica ou através dos nomes comerciais a seguir:

    - Algirona;

    - Anador;

    - Alivdip;

    - Atroveran dip;

    - Analgex C;

    - Conmel;

    - Difebril (Comprimido e gotas)

    - Dipidor;

    - Dipigina (Comprimido e solução oral)

    - Dipimed;

    - Dipironati;

    - Dipiroterm;

    - Diprin (Comprimido, gotas e solução)

    - Dorflex;

    - Dorfebril;

    - Dorilen;

    - Dipifarma;

    - Dipiralgin;

    - Hynalgim;

    - Lomdor;

    - Lisador dip;

    - Magnopyrol;

    - Mirador;

    - Maxiliv;

    - Novalgina (Comprimido, gotas, solução oral, injetável e supositório);

    -Nofebrin;

    - Novagreen;

    - Novalex;

    - Novaldip;

    - Santidor;

    - Tekaflex;

    - Termopirona;

    - Termoprim;


    Formas de tomar

    A posologia do medicamento mencionado no artigo depende da idade e do peso do paciente:

    Comprimido

    Adultos e adolescentes acima de 15 anos: recomenda-se uma dose de 1 a 2 comprimidos, administradas até 4 vezes ao dia.

    Se o efeito de uma única dose for insuficiente ou após o efeito analgésico ter diminuído, a dose pode ser repetida respeitando-se a posologia.

    Solução em gotas

    Adulto e adolescentes acima de 15 anos: recomenda-se uma dose de 20 a 40 gotas, administradas em uma dose única ou de no máximo 40 gotas, até 4 vezes ao dia.


    Efeitos colaterais

    Os efeitos colaterais presentes na maxalgina variam de choque anafilático, reações anafiláticas, coceira, ardor, vermelhidão, urticária, inchaço, falta de ar, doenças gastrintestinais e dores de cabeça.


    Contraindicações

    O medicamento maxalgina é contraindicado para pacientes com hipersensibilidade ou intolerância à dipirona, outras pirazolonas ou a qualquer outro componente presente a fórmula do produto.

    Além disso, não é recomendado para pacientes com função óssea prejudicada ou doenças do sistema hematopoiético, desenvolvimento de broncoespasmo ou outras reações anafilactoides, como urticária, rinite, angioedema com uso de medicamentos para dor tais como salicilatos, paracetamol, diclofenaco, ibuprofeno, indometacina e naproxeno; porfiria hepática aguda intermitente pelo risco de indução de crises de porfiria; deficiência congênita da glicose-6-fostato-desidrogenase, pelo risco de hemólise.

    A maxalgina não é indicada para crianças menores de 3 meses de idade ou que estejam pesando menos de 5kg. Mulheres no período de gestação ou que estejam amamentando são recomendadas a não fazer administração do medicamento em destaque.


    Dados de segurança pré-clínicos

    Toxicidade aguda

    As doses mínimas letais de Dipirona monoidratada em camundongos e ratos são: aproximadamente 4000mg/kg de peso corporal por via oral, aproximadamente 2300mg de Dipirona monoidratada (substância ativa) por kg de peso corporal ou 400mg de MAA por kg de peso corporal por via intravenosa. Os sinais de intoxicação foram sedação taquipneia e convulsões pré-morte.

    Toxicidade crônica

    As injeções intravenosas de Dipirona monoidratada em ratos (peso corporal 150mg/kg por dia) e cães (50mg/kg de peso corporal por dia) durante um período de 4 semanas foram toleradas.

    Foram realizados estudos de toxicidade oral crônica ao longo de um período de 6 meses em ratos e cães:

    Doses diárias de até 300mg de peso corporal/kg em ratos e até 100mg/kg de peso corporal de peso em cães não causaram sinais de intoxicação. Doses mais elevadas em ambas espécies causaram alterações químicas do soro e hemossiderose no fígado e baço, também foram detectados sinais de anemia e toxicidade da medula óssea.

    Mutagenicidade

    Estão descritos na literatura tanto resultados positivos bem como negativos. No entanto, estudos in vitro e in vivo com material específico grau Hoechst não deu indicação de um potencial mutagênico.

    Carcinogenicidade

    Em estudos em ratos e camundongos NMRI em tempo de vida, a Dipirona monoidratada não mostrou efeitos cancerígenos.

    Toxicidade reprodutiva

    Estudos em ratos e coelhos não indicam potencial teratogênico.


    Propriedades farmacodinâmicas

    A Dipirona monoidratada é um derivado pirazolônico não narcótico com efeitos analgésico, antipirético e espasmolítico.

    A Dipirona monoidratada (substância ativa) é uma pró-droga cuja metabolização gera a formação de vários metabólitos entre os quais há 2 com propriedades analgésicas: 4-metil-aminoantipirina (4-MAA) e o 4-amino-antipirina (4-AA).

    Como a inibição da ciclo-oxigenase (COX-1, COX-2 ou ambas) não é suficiente para explicar este efeito antinociceptivo, outros mecanismos alternativos foram propostos, tais como:

    Inibição de síntese de prostaglandinas preferencialmente no sistema nervoso central, dessensibilizacão dos nociceptores periféricos envolvendo atividade via óxido nítrico-GMPc no nociceptor, uma possível variante de COX-1 do sistema nervoso central seria o alvo específico e, mais recentemente, a proposta de que a Dipirona monoidratada inibiria uma outra isoforma da ciclo-oxigenase, a COX-3.

    Os efeitos analgésico e antipirético podem ser esperados em 30 a 60 minutos após a administração e geralmente duram cerca de 4 horas.

    Propriedades farmacocinéticas

    A farmacocinética da Dipirona monoidratada e de seus metabólitos não está completamente elucidada, mas as seguintes informações podem ser fornecidas:

    Após administração oral, a Dipirona monoidratada é completamente hidrolisada em sua porção ativa, 4-Nmetilaminoantipirina (MAA). A biodisponibilidade absoluta da MAA é de aproximadamente 90%, sendo um pouco maior após administração oral quando comparada à administração intravenosa. A farmacocinética da MAA não se altera em qualquer extensão quando a Dipirona monoidratada é administrada concomitantemente a alimentos.