Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Ponstan: confira sua bula!

    Ponstan: confira sua bula!

    O medicamento ponstan é indicado para o tratamento e alívio dos sintomas da artrite reumatoide, crônica ou não, além de osteoartrites, dores em geral (muscular, dentária, na cabeça, traumática etc), cólica menstrual primária, menorragia por causas disfuncionais ou por uso de DIU e síndrome pré-menstrual.

    Você pode encontrar as mais variadas ofertas e promoções deste remédio em nosso site!


    O que é

    O princípio ativo do ácido mefenâmico age como um agente anti-inflamatório não esteroide, que inibe a produção das prostaglandinas – substância essa que estimula a inflamação no organismo –, o que gera atividade de redução da inflamação, além de potencializar os efeitos analgésicos e antipiréticos presentes no medicamento em destaque!

    Os excipientes que podemos encontrar em ponstan são amido de milho, celulose microcristalina, estearato de magnésio, laurilsulfato de sódio, povidona 30, vanilina, corante amarelo FDC nº 5 de alumínio laca e dióxido de silício coloidal.

    Lembre-se, o medicamento em destaque deve ser administrado junto a um médico – pois ele irá ditar a redução ou aumento da dosagem de acordo com o tratamento. Procure o melhor profissional da área da saúde para atendê-lo aqui!


    Interações medicamentosas

    Medicamento – Ácido acetilsalicílico

    Ácido Mefenâmico (sustância ativa) interfere no efeito antiplaquetário do ácido acetilsalicílico de baixa dosagem, e pode, assim, interferir no tratamento profilático de doença CV com aspirina.

    Medicamento – Anticoagulantes

    O Ácido Mefenâmico (sustância ativa) desloca a varfarina dos sítios de ligação à proteína e pode aumentar a resposta aos anticoagulantes orais. Portanto, a administração concomitante de Ácido Mefenâmico (sustância ativa) com fármacos anticoagulantes requer monitoração frequente do tempo de protrombina.

    Anti-hipertensivos incluindo os diuréticos, inibidores da enzima conversora da angiotensina, antagonistas da angiotensina II e beta bloqueadores

    Os AINEs podem diminuir a eficácia dos diuréticos e de outros fármacos anti-hipertensivos, incluindo inibidores de ECA, ARA II ) e beta bloqueadores. Em pacientes com comprometimento da função renal (por ex., pacientes desidratados ou idosos com a função renal comprometida), a coadministração de inibidores da ECA ou de ARA II e/ou diuréticos com inibidores da cicloxigenase pode aumentar a deterioração da função renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda, que é geralmente reversível. A ocorrência destas interações deve ser considerada em pacientes sob administração de Ácido Mefenâmico (sustância ativa) com inibidores da ECA ou de ARA II e/ou diuréticos.

    Portanto, a administração concomitante destes medicamentos deve ser feita com cautela, especialmente em pacientes idosos. Os pacientes devem ser adequadamente hidratados e deve-se avaliar a necessidade de monitoramento da função renal no início do tratamento concomitante e periodicamente.

    Corticosteroides: aumento do risco de ulceração gastrintestinal ou sangramento.

    Ciclosporina: Devido aos efeitos das prostaglandinas renais, os AINEs como o Ácido Mefenâmico (sustância ativa), podem aumentar o risco de nefrotoxicidade com a ciclosporina.

    Medicamento – Agentes hipoglicemiantes

    Há relatos de alterações no efeito dos agentes hipoglicemiantes orais na presença de AINEs. Portanto, o Ácido Mefenâmico (sustância ativa) deve ser administrado com cautela em pacientes recebendo insulina ou agentes hipoglicemiantes orais.

    Medicamento – Lítio

    O Ácido Mefenâmico (sustância ativa) produziu elevação do nível plasmático de lítio e redução no clearancerenal de lítio. Sendo assim, quando o Ácido Mefenâmico (sustância ativa) e lítio são coadministrados, os pacientes devem ser cuidadosamente observados com relação aos sinais de toxicidade por lítio.

    Medicamento – Metotrexato

    Deve-se ter cautela na administração concomitante de metotrexato e AINEs, incluindo o Ácido Mefenâmico (sustância ativa), já que a administração de AINEs pode resultar no aumento dos níveis plasmáticos de metotrexato, especialmente em pacientes recebendo altas doses de metotrexato.

    Medicamento – Tacrolimo

    Possibilidade de aumento do risco de nefrotoxicidade quando AINEs são coadministrados com tacrolimo.

    Cetorolaco: aumento do risco de sangramento gastrointestinal.

    Ginkgo biloba: aumento do risco de sangramento.

    Diuréticos poupadores de potássio: diminuição da atividade diurética e hipercalemia.

    Diuréticos tiazídicos: diminuição da atividade diurética. Inibidores seletivos da recaptação de serotonina aumentam o risco de sangramento.

    Antiácidos: levam ao aumento das reações adversas típicas do ácido mefenâmico.


    Remédios com ácido mefenâmico em sua composição

    Ácido mefenâmico; Ponsdril; Pontin; Pontrex e Standor.


    Nomes Comerciais

    Este medicamento pode ser visto sob a forma genérica ou através dos nomes comerciais a seguir:

    - Pontin;

    - Ponsdril;

    - Standor.


    Formas de tomar

    A posologia de ponstan depende da idade e do problema do paciente:

    Recomenda-se uma dose de 1 comprimido de 500mg, administrados até 3 vezes ao dia. Esse medicamento deve ser engolido por inteiro, de preferência sem mastigar ou partir – para não comprometer os efeitos de eficácia.


    Efeitos colaterais

    Os efeitos colaterais presentes em ponstan podem incluir diarreia, náuseas, vômitos ou dor abdominal. Em casos mais raros, foram observados anorexia, perda de apetite, colite, amarelamento de pele, inflamação dos intestinos, flatulência, constipação, ulceração gástrica com ou sem sangramento, hepatite, pirose, toxicidade hepática leve, síndrome hepatorrenal, pancreatite e eliminação de gordura nas fezes.

    Caso apresente algum desses efeitos ou sintomas, procure imediatamente um médico e converse com ele sobre o tratamento que está seguindo junto ao medicamento.


    Contraindicações

    O medicamento ponstan é contraindicado para pacientes que possuem hipersensibilidade ao medicamento ou qualquer outro componente presente na fórmula, além de pacientes que tenham alergia ao ácido acetilsalicílico ou outros anti-inflamatórios não esteroides manifestados pelo aparecimento, após o uso desses medicamentos, de chiado no peito, rinite alérgica ou lesões avermelhadas na pele com coceira.

    O medicamento em destaque não é indicado para menores de 14 anos de idade, para pacientes que tenham úlcera ativa ou inflamação crônica do tratamento gastrintestinal – no estômago, intestino ou esôfago–, que tenham dor devido a cirurgia de revascularização do miocárdio ou que sofram com insuficiência dos rins, coração ou fígado.