Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Previna-se contra o câncer de mama!

    Previna-se contra o câncer de mama!

    O câncer de mama - a doença mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos a cada ano - é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor.

    Há várias vertentes da doença, por isso, podem evoluir de diferentes formas. Algumas possuem desenvolvimento rápido, enquanto outras crescem mais lentamente (características variáveis de cada tumor).

    O Ministério da Saúde, oferece tratamento para o câncer mamário por meio SUS. Além disso, medidas preventivas são proporcionadas pela Fundação do Câncer - instituição privada e sem fins lucrativos que, há 25 anos, realiza ações estratégicas para a prevenção e o controle do câncer no Brasil.

    Sintomas:

    Nas fases mais iniciais, o esta condição pode não provocar sintomas. À medida que as células tumorais se multiplicam, alguns sintomas que podem surgir são:

    • Aparecimento de um nódulo duro na mama ou próximo da axila, que pode ser percebido através do toque e do auto-exame da mama;

    • Saída de líquido pelo mamilo quando pressionado, podendo ser sangue;

    • Tamanho ou formato diferente das mamas, que antes não existia;

    • Ter a mama inchada, vermelha, quente e que causa coceira;

    • Ferida na mama que não cicatriza e tem mau cheiro;

    Embora as vertentes do câncer de mama possam apresentar-se como um nódulo, muitos podem ser benignos. Estes, são crescimentos anormais, porém não há disseminação. É necessária a realização de exames e consulta ao médico, pois este tumor pode implicar em um risco para o desenvolvimento de um câncer no futuro.

    Os exames recomendados são: ultrassom, ressonância magnética ou, se a suspeita persistir, uma biópsia do nódulo mamário.

    Você sabia? A doença ocorre quase que exclusivamente em mulheres, mas os homens também podem ter câncer de mama!

    O que é?

    O câncer de mama é o crescimento descontrolado de células da mama que adquiriram características anormais (células dos lobos, células produtoras de leite, ou dos ductos, por onde é drenado o leite). Anormalidades estas causadas por uma ou mais mutações no material genético da célula.

    A mama é constituída por tecido adiposo (gordura), tecido conjuntivo (colágeno e elastina), tecido glandular (onde é produzido o leite), vasos sanguíneos e linfáticos.

    Macroscopicamente, o parênquima mamário é um tecido humano especializado localizado no tórax. Contudo, em termos microscópicos, podem ser identificados os:

    • Lóbulos: Ramificações ductais que conectam as unidades estruturais e funcionais da mama ao mamilo;

    • Sistema ductal: Constituído por um ducto principal e suas ramificações intra e extralobulares (ductos galactóforos);

    • Estroma: Composto de tecido conjuntivo e tecido adiposo, sendo responsável pelo tamanho e forma;

    • Ligamentos de Cooper: Responsáveis pela suspensão da mama, são flexíveis e não se podem esticar muito para não perderem a sua elasticidade.

    Causas:

    O câncer na mama é em parte decorrente de uma série de fatores de risco, como:

    • Ser mulher;

    • Histórico familiar;

    • Menarca precoce;

    • Predisposição genética hereditária;

    • Idade avançada;

    • Menopausa tardia;

    • Radioterapia prévia na região do tórax;

    • Mamas densas;

    • Obesidade;

    • Sedentarismo;

    • Alcoolismo;

    • Tabagismo;

    • Uso da terapia de reposição hormonal;

    Tipos:

    Mais comuns

    Carcinoma ductal in situ

    Também conhecido como carcinoma intraductal, é considerado não invasivo ou pré-invasivo. Cerca de 20% dos novos casos de câncer mamário são de carcinoma ductal in situ. Quase todas as mulheres diagnosticadas neste estágio da doença podem ser curadas.

    Carcinoma invasivo

    Este é o tipo mais comum de câncer mamário. Cerca de 70% dos cânceres de mama invasivos são carcinomas ductais invasivos. O carcinoma ductal invasivo (ou infiltrante) se inicia em um ducto mamário.

    Carcinoma lobular invasivo

    O carcinoma lobular invasivo começa nas glândulas produtoras de leite (lóbulos). Cerca de 10% dos cânceres de mama invasivos correspondem ao carcinoma lobular invasivo, que pode ser mais difícil de ser diagnosticado na mamografia do que o carcinoma ductal invasivo.

    Tipos Especiais de Carcinoma de Mama Invasivo

    Existem alguns tipos especiais de câncer mamário que são subtipos do carcinoma invasivo, possuindo um prognóstico melhor, que incluem:

    - Carcinoma cístico adenoide;

    - Carcinoma metaplásico;

    - Carcinoma medular;

    - Carcinoma mucinoso;

    - Carcinoma papilífero;

    - Carcinoma tubular;

    Outros que possuem o mesmo prognóstico ou até pior do que um carcinoma invasivo são:

    - Carcinoma metaplásico;

    - Carcinoma micropapilar;

    - Carcinoma misto (tem características de ducal e lobular invasivo);

    Em geral, todos os subtipos são tratados como carcinoma ductal invasivo.

    Menos comuns

    Inflamatório

    É um tipo raro que representa cerca de 1 a 3% dos cânceres de mama.

    Doença de Paget

    Este tipo de câncer de mama começa nos ductos mamários e se dissemina para a pele do mamilo e para a aréola. É raro, representando cerca de 1% dos casos de câncer na mama.

    Tumor Filodes

    É um tipo de tumor de mama muito raro, que se desenvolve no estroma (tecido conjuntivo) da mama, em contraste com os carcinomas, que se desenvolvem nos ductos ou lobos.

    Angiosarcoma

    Este tipo de câncer começa nas células que revestem os vasos sanguíneos ou vasos linfáticos. Raramente ocorre na mama.

    Dicas:

    Considere métodos complementares e alternativos! Estes podem incluir vitaminas, ervas e dietas especiais, ou outros métodos, como acupuntura ou massagem.

    Os tratamentos alternativos são usados ​​em vez do tratamento médico. Embora alguns destes métodos possam ser úteis para aliviar os sintomas ou ajudar você a se sentir melhor, muitos não foram comprovados cientificamente e não são recomendados. Converse com seu médico antes de iniciar qualquer terapia alternativa.

    Tratamentos:

    Tratamentos Locais

    A terapia local visa tratar um tumor localmente, sem afetar o resto do corpo. Os tipos de terapia local utilizados para esta condição incluem:

    - Cirurgia;

    - Radioterapia;

    Tratamentos Sistêmicos

    Refere-se ao uso de medicamentos que podem ser administrados por via oral, ou diretamente na corrente sanguínea para atingir as células cancerígenas em qualquer parte do corpo. Dependendo da vertente do câncer na mama, diferentes tipos de tratamentos sistêmicos podem seu usados, incluindo:

    -Quimioterapia;

    -Terapia hormonal;

    -Terapia alvo;

    É importante que todas as opções de tratamento sejam discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.

    Medidas Preventivas:

    - Realização da mamografia. É o único exame capaz de detectar uma lesão cerca de cinco anos antes dela se tornar palpável, ainda na fase de microcalcificação. Seu uso associado ao ultrassom garante 97% de acerto nos diagnósticos de câncer de mama;

    - Praticar atividades físicas regularmente;

    - Controlar a alimentação e manter-se saudável;

    - Não fumar;

    - Não consumir álcool;

    Remédios Indicados:

    Palbociclibe: É indicado para o tratamento do câncer de mama avançado ou metastático HR (receptor hormonal) positivo e HER2 (receptor 2 do fator de crescimento epidérmico humano) negativo, em combinação com terapia endócrina:

    - com letrozol como terapia endócrina inicial em mulheres na pós-menopausa;

    - com fulvestranto em mulheres que receberam terapia prévia;

    As informações sobre letrozol e fulvestranto podem ser encontradas na bula dos produtos. Seu médico também poderá lhe fornecer essas informações.