Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Sinais de calvície!? Saiba o que é a alopecia areata!

    Sinais de calvície!? Saiba o que é a alopecia areata!

    O que é?

    Alopecia areata é uma doença que faz com que o cabelo caia em pequenas manchas, que até podem permanecer imperceptíveis. Essas áreas afetadas podem eventualmente se conectar e se tornar perceptíveis.

    Entretanto, esta doença se desenvolve quando o sistema imunológico ataca os folículos pilosos, resultando em perda de cabelo .

    A perda súbita de cabelo pode ocorrer no couro cabeludo e, em alguns casos, nas sobrancelhas, nos cílios e no rosto, bem como em outras partes do corpo. Ele também pode se desenvolver lentamente e ocorrer após anos entre instâncias.

    A condição pode resultar em perda de cabelo total, chamada alopecia universalis, e pode impedir que o cabelo volte a crescer. Quando o cabelo volta a crescer, é possível que o cabelo caia novamente. A extensão da perda e rebrota varia de pessoa para pessoa.

    Você sabia? Mais de 5 milhões de pessoas nos Estados Unidos têm alopecia areata.

    Sintomas

    O principal sintoma da alopecia areata é a queda de cabelo. O cabelo geralmente cai em pequenas manchas no couro cabeludo.

    Estas manchas são muitas vezes vários centímetros ou menos. A perda de cabelo também pode ocorrer em outras partes do rosto, como as sobrancelhas, cílios e barba, bem como outras partes do corpo. Algumas pessoas perdem cabelo em apenas alguns lugares, já outros experienciam a perda em diversos locais.

    O mais comum dos sintomas pode ser primeiro notar uma porção de cabelos caídos em seu travesseiro ou então no chuveiro.

    Se as manchas estiverem na parte de trás de sua cabeça, alguém pode chamar sua atenção. No entanto, outros tipos de doenças também podem fazer com que o cabelo caia em um padrão similar. A perda de cabelo sozinha não é usada para diagnosticar a alopecia areata.

    Em casos raros, algumas pessoas podem apresentar perda de cabelo mais extensa. Isso geralmente é uma indicação de outro tipo de alopecia, como:

    - Alopecia totalis, que é a perda de todo o cabelo no couro cabeludo;

    - Alopecia universalis, que é a perda de todo o cabelo em todo o corpo.

    Os médicos podem evitar usar os termos “totalis” e “universalis” porque algumas pessoas podem experimentar algo entre os dois. É possível perder todos os pêlos nos braços, pernas e couro cabeludo, mas não no peito, por exemplo.

    A perda de cabelo associada à alopecia areata é imprevisível e, na medida em que médicos e pesquisadores podem perceber, parece ser espontânea . O cabelo pode voltar a crescer a qualquer momento e depois cair novamente. A extensão da perda de cabelo e da regeneração varia muito de pessoa para pessoa.

    Causas

    A Alopecia areata é uma doença autoimune, ou seja, ela se desenvolve quando o sistema imunológico confunde células saudáveis ​​com substâncias estranhas. Normalmente, o sistema imunológico defende seu corpo contra invasores estrangeiros, como vírus e bactérias.

    Se você tem alopecia areata, no entanto, seu sistema imunológico ataca erroneamente seus folículos pilosos. Os folículos pilosos são as estruturas de onde crescem os pêlos, e quando esta complicação se torna presente estes folículos ficam menores e param de produzir cabelo, levando assim à perda do cabelo.

    Os pesquisadores não sabem o que desencadeia o sistema imunológico para atacar os folículos pilosos, por isso a causa exata desta condição ainda não é conhecida.

    Este tipo de complicação ocorre mais frequentemente em pessoas com história familiar de outras doenças autoimunes, como a diabetes tipo 1 ou a artrite reumatoide. E é por isso que alguns cientistas suspeitam que a genética pode contribuir para o desenvolvimento da alopecia areata.

    Acredita-se também que certos fatores no ambiente são necessários para desencadear a alopecia areata em pessoas geneticamente predispostas à doença.

    Diagnóstico

    Um médico irá rever seus sintomas para determinar se você tem alopecia areata. Eles podem diagnosticar essa condição simplesmente observando a extensão da perda de cabelo e examinando algumas amostras de cabelo ao microscópio.

    Seu médico também pode realizar uma biópsia do couro cabeludo para descartar outras condições que causam a perda de cabelo, incluindo infecções fúngicas como a Tinea capitis.

    Durante uma biópsia do couro cabeludo, o médico irá remover um pequeno pedaço de pele do couro cabeludo para fazer a análise.

    Exames de sangue também podem ser feitos caso haja suspeita de outras condições autoimunes.

    O exame de sangue específico realizado depende do distúrbio específico que o médico suspeita. No entanto, o médico provavelmente testará a presença de um ou mais anticorpos anormais. Se esses anticorpos são encontrados no sangue, isso geralmente significa que você tem um distúrbio autoimune.

    Outros exames de sangue que podem ajudar a descartar outras condições incluem o seguinte:

    - Proteína c reativa e taxa de sedimentação de eritrócitos;

    - Níveis de ferro;

    - Teste de anticorpos antinucleares;

    - Hormônios da tireóide;

    - Testosterona livre e total;

    - Hormônio folículo estimulante e luteinizante.

    Caso você não conheça um profissional para tratar da alopecia areata, encontre aqui um médico qualificado para tratar desta condição ou qualquer outro sintoma que esteja te incomodando.

    Tratamento

    Não há cura conhecida para a alopecia areata, contudo, há tratamentos que podem tentar diminuir a queda de cabelo ou ajudar o cabelo a crescer mais rapidamente.

    A condição é difícil de prever, o que significa que pode exigir uma grande quantidade de tentativa e erro até encontrar algo que funcione para cada pessoa. Para alguns, a perda de cabelo pode piorar apesar do tratamento.

    Agentes tópicos

    Você pode esfregar medicamentos em seu couro cabeludo para ajudar a estimular o crescimento do cabelo.

    Um bom número de medicamentos está disponível, tanto sem prescrição quanto com prescrição médica. Dentre eles estão:

    Minoxidil: aplicado duas vezes ao dia para o couro cabeludo, sobrancelhas e barba. É relativamente seguro, mas pode levar um ano para obter resultados;

    • Atrovex

      Atrovex

      2 apresentações
      R$ 8,30
      R$ 8,30

    - Antralina: é uma droga que irrita a pele, a fim de estimular o crescimento do cabelo;

    - Cremes corticosteróides: por exemplo o cortisonal, espumas, loções e pomadas são pensados ​​para o trabalho, diminuindo a inflamação no folículo piloso;

    • Atrovex

      Atrovex

      2 apresentações
      R$ 8,30
      R$ 8,30

    - Imunoterapia tópica: é uma técnica na qual uma substância química, como o diphencyprone, é aplicada na pele para desencadear uma erupção alérgica. A erupção, que se assemelha a carvalho venenoso, pode induzir novo crescimento de pêlos dentro de seis meses, mas você terá que continuar o tratamento para manter a regeneração.

    Injeções

    Injeções de esteroides são uma opção comum para a alopecia leve e irregular para ajudar o cabelo a crescer em pontos calvos. Agulhas minúsculas injetam o esteroide na pele nua das áreas afetadas.

    O tratamento deve ser repetido uma vez a cada um ou dois meses para regenerar o cabelo, porém não impede que ocorra nova perda de cabelo.

    Tratamentos orais

    Comprimidos de cortisona às vezes são usados ​​para alopecia extensa, mas devido à possibilidade de efeitos colaterais, essa opção deve ser sempre discutida com um médico antes de qualquer uso.

    Os imunossupressores orais, como o metotrexato e a ciclosporina, são outra opção que você pode tentar. Eles funcionam bloqueando a resposta do sistema imunológico, mas eles não podem ser usados ​​por um longo período de tempo devido ao risco de efeitos colaterais, como pressão alta, causar danos ao fígado e rins, e possivelmente desencadear um aumento do risco de infecções graves e um tipo de câncer chamado linfoma.

    • Atrovex

      Atrovex

      2 apresentações
      R$ 8,30
      R$ 8,30

    Terapia de luz

    A terapia da luz também é chamada de fotoquimioterapia ou apenas fototerapia. É um tipo de tratamento de radiação que usa uma combinação de uma medicação oral chamada psoralenos e luz UV.