Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Teste de gravidez: Quais sinais que seu corpo dá diante uma gravidez?

    Teste de gravidez: Quais sinais que seu corpo dá diante uma gravidez?

    O corpo de uma mulher muda muito e apresenta diversos sintomas quando ela fica grávida, de cansaço e enjoos até ausência da menstruação podem ser indicativos fortes de que você pode estar grávida, porém mesmo com todos os sintomas, o teste de gravidez é um dos únicos que podem comprovar uma gestação.

    COMPARE AQUI OS MELHORES PREÇOS PARA TESTE DE GRAVIDEZ


      Sintomas comuns de uma gravidez

      Normalmente os primeiros sintomas de gravidez aparecem quando o óvulo se instala na parede do útero, apenas alguns dias depois de a relação sexual ter acontecido. No entanto, muitas mulheres só percebem que estão grávidas a partir do atraso da menstruação, mesmo com a presença de outros sintomas. Tais como:

      • Atraso menstrual:

      O atraso menstrual é um dos sintomas mais famosos e mais corretos em relação a uma gravidez. Ele ocorre pois o sangue da menstruação nada mais é do uma camada que o útero produz para acomodar melhor o embrião, e que é eliminada quando a gestação não ocorre. Ou seja, se a menstruação não desceu, o mais provável e que o sangue esteja sendo usado para sua finalidade original.

      Sendo assim, pode-se dizer que os primeiros sintomas de gravidez aparecem a partir do segundo dia de atraso da menstruação.

      • Mamas maiores e sensíveis:

      Outro sintoma de gravidez bem acentuado são as mudanças nos seios, que podem aparecer entre a quarta e a sexta semana de gravidez. Isso ocorre porque o processo da gestação faz com que elas comecem a se desenvolver para que a mulher possa produzir leite na amamentação, havendo um aumento das glândulas e da vascularização. Algumas mulheres ficam com tanta sensibilidade na região que os seios doem até nos movimentos, como encostar o balançar.

      • Enjoos:

      O enjoo é o sintoma de gravidez mais clássico, principalmente no primeiro trimestre, mas é claro que o tempo de aparecimento dos primeiros sintomas de gravidez e a intensidade varia de mulher para mulher, apesar de ser raro não apresentá-lo.

      • Aréolas mais escuras:

      Com tanta atividade e mudanças nas mamas, acaba havendo um aumento da vascularização da região, o que inclusive justifica tanta sensibilidade nesses órgãos. Com isso as aréolas dos seios tendem a ficar mais escuras do que antes. Em alguns casos, esse sintoma de gravidez pode aparecer a partir da segunda semana. Além disso, podem se desenvolver pequenas protuberâncias nas aréolas, que costumam assustar as mães de primeira viagem.

      • Pequeno sangramento:

      Muitas mulheres relatam um pequeno sangramento no começo da gestação, normalmente atribuído ao momento em que o embrião se implanta na parede do útero, já que a fecundação ocorre nas trompas, mais próxima ao ovário. Os especialistas se dividem quanto a ocorrência desse sangramento. Muitos acreditam que ele pode não acontecer, enquanto outros afirmam que sim, é até comum encontrar mulheres que afirmam ter "menstruado" no começo da gravidez. Em alguns casos, pode acontecer de esse sintoma de gravidez se manifestar entre seis a 12 dias após a relação sexual.

      • Maior frequência urinária:

      O aumento da frequência urinária também é um dos sintomas de gravidez, principalmente a partir do segundo mês de gestação. Isto ocorre, pois conforme o útero cresce, se reposiciona no corpo, e vai comprimindo a bexiga. É comum a grávida acordar a noite com muita vontade de urinar, mas ter pouco líquido. A frequência urinária vai aumentando ao longo da gestação, com o crescimento do útero e do feto, e é muito mais discreta no comecinho. De acordo com o especialista, a bexiga se adapta a essa mudança inicial e depois, com o encaixe do bebê próximo à época do parto, a urgência de urinar volta.

      • Aumento abdominal:

      Obviamente a barriga só fica realmente visível da metade para o final da gravidez, no entanto, desde o comecinho as mulheres mais atentas podem notar um pequeno aumento no abdômen, como se ela estivesse engordando um pouco e esse pode ser um dos primeiros sintomas de gravidez, que pode aparecer a partir da quinta semana de gestação.

      • Prisão de ventre:

      O intestino é totalmente afetado pela gestação: a progesterona reduz o trânsito intestinal, ou seja, o bolo alimentar demora bem mais tempo para fazer todo seu caminho até ser excretado como as fezes. Ou seja, defecar se torna algo muito mais demorado desde o começo, o que inclusive aumenta o inchaço abdominal. Esse sintoma de gravidez costuma aparecer ao longo do primeiro trimestre;

      • Gases e cólicas pouco intensas:

      Como consequência, a gestante também acumula muitos mais gases. Quando o bolo alimentar não anda, os gases ficam presos também, o que pode provocar cólicas e desconfortos. Por isso mesmo, é comum que a gestante tenha pequenas cólicas intestinais, além das pequenas cólicas comuns do útero. 

      • Aversão a cheiros fortes:

      Não se sabe ao certo por que, mas as mulheres costumam a ter alterações no paladar e olfato durante a gestação.

      • Instabilidade emocional:

      Gestantes costumam ser sensíveis e um aumento na facilidade em chorar pode ser também um sintoma de gravidez. Além disso, é importante lembrar que a gravidez é um turbilhão de novas emoções, principalmente para quem está esperando o primeiro filho. Dúvidas sobre a saúde do bebê, como será o parto e se ela conseguirá amamentar, tudo isso passa pela cabeça dela, além da insegurança de começar uma experiência nova.

      • Desejos estranhos:

      Junto com as alterações no olfato, um dos primeiros sintomas de gravidez pode ser o aparecimento de desejos alimentares tanto por coisas comuns quanto por itens não comestíveis, como terra, tijolos, plástico, etc. Esse transtorno alimentar se chama "pica" e tem fundo mais emocional e é comum no primeiro trimestre da gravidez. Não há relação com problemas alimentares, como anemia por exemplo, como muita gente acredita. Normalmente, quando a gestante apresenta esses sintomas, é importante investigar se ela não está com algum problema familiar.

      • Aumento da libido:

      Algumas gestantes relatam ter aumento da libido sexual. No primeiro trimestre a produção hormonal ainda ocorre no ovário, e como ele é superestimulado, pode acabar produzindo testosterona em excesso também, hormônio ligado ao desejo sexual.

      • Maior salivação:

      A gestante tem uma produção aumentada de todas as secreções do corpo, incluindo saliva. O que pode acontecer com relativa frequência é a gestante produzir saliva demais.Portanto, esse pode ser outro sintoma de gravidez inicial.

      • Sangramento na gengiva:

      Esse sintoma de gravidez, na verdade, pode se acentuar no período gestacional. Provavelmente a gestante já teria uma predisposição a ter gengivite antes de engravidar E quando a gestação acontece, essa condição se acentua e acarreta a gengivite. A gravidez faz com que a produção hormônios como progesterona e estrógeno aumente. Essa mudança hormonal causa aumento do fluxo sanguíneo e faz com que a região da gengiva fique mais sensível.

      • Ronco:

      As oscilações hormonais causam alterações nas cordas vocais e também fazem com que as membranas nasais inchem, ocasionando assim o ronco. Esse sintoma não é comum no começo da gravidez, mas pode ocorrer.

      • Inchaço da vulva:

      As modificações hormonais fazem com que o fluxo sanguíneo aumente na região vaginal. Essa dinâmica também faz com que haja maior circulação na região da vulva, fazendo com que ela tenha uma aparência mais inchada.

      • Aumento da transpiração:

      Quando uma mulher engravida é como se ela estivesse em uma menopausa fisiológica. Logo, o aumento do fluxo sanguíneo ocasionado pelos hormônios faz com que os vasos sanguíneos se dilatem e aumentem a temperatura corporal. Isso faz com que a gestante sinta mais calor e consequentemente transpire mais. Logo esse também pode ser um sintoma de gravidez

      • Coceira:

      O aumento da transpiração pode facilitar o surgimento de dermatites e erupções na pele, caracterizando-se também como um sintoma de gravidez. As mudanças na pele tendem a se intensificar com a evolução da gravidez, por isso é importante mantê-la hidratada e protegida durante todo o período.

      • Flatulência:

      Com o aumento da progesterona há um aumento na contração dos músculos lisos, responsáveis pelos movimentos do trato digestório. Isso diminui a velocidade com que os gases são eliminados fazendo com que eles fiquem concentrados no intestino - resultando assim na fermentação de certos alimentos pelas bactérias.


      Como confirmar uma gravidez?

      Há muitas formas de se confirmar uma gravidez, as mais eficazes costumam ser o teste de fármacia e o exame de sangue feito em laboratório.

      • Teste de gravidez de farmácia (ou de urina):

      O teste de gravidez de farmácia detecta a presença ou ausência do hormônio beta-HCG na urina. Esse hormônio é produzido a partir do momento que o óvulo é implantado - ou seja, assim que a gestação começa. Dessa forma, um teste de gravidez positivo é aquele que identifica a presença do beta-HCG na urina.

      Os testes de gravidez caseiros são populares pois espera-se descobrir uma gestação em casa, sem muitos recursos. No entanto, o teste de farmácia pode ser encontrado por menos de 10 reais e o resultado aparece em cinco minutos. Na verdade, ao apontarem um resultado "positivo" ou "negativo", refletem apenas uma chance de 50% em refletir o verdadeiro estado, gravidez ou ausência de gravidez.

      • Teste de gravidez feito em laboratório (ou de sangue):

      O exame de sangue feito em laboratório é o mais indicado para confirmar a gravidez. Para realizá-lo, não é necessário ter uma prescrição médica nem estar de jejum, mas alguns laboratórios pedem que as mulheres façam um jejum de 4 horas antes de fazer a coleta do sangue.

      O resultado do exame sai poucas horas após a coleta e para ser totalmente confiável, ele deve ser feito pelo menos 1 semana após a relação íntima sem preservativo, mesmo que a menstruação ainda não esteja atrasada.