Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Tudo sobre Antibióticos!

    Tudo sobre Antibióticos!

    O primeiro antibiótico descoberto foi a penicilina, que teve sua ação conhecida por acaso durante os estudos de Alexander Fleming, em 1928. O pesquisador esqueceu uma cultura de Staphylococcus aureus sobre a mesa e partiu para suas férias. Ao voltar, as placas com a cultura estavam cheias de mofo e ele pôde observar a presença de um halo transparente em volta do fungo. Foi notado que aquele fungo era capaz de matá-las, send identificado como Penicillium, deu origem ao nome antibiótico penicilina.

    A partir da descoberta da penicilina, diversos outros antibióticos foram descobertos, cada um atuando de uma maneira diferente.

    Existem antibióticos que atuam inibindo a síntese da parede celular, outros atuam inibindo a síntese proteica e existem ainda aqueles que atuam inibindo a síntese dos ácidos nucleicos das bactérias. É importante frisar que os antibióticos não possuem nenhuma função em doenças causadas por vírus.

    COMPARE AQUI OS MELHORES PREÇOS DOS MEDICAMENTOS!

    O que é?

    Os antibióticos podem ser definidos como compostos naturais — quando produzidos por fungos ou bactérias — ou sintéticos capazes de interferir no crescimento bacteriano ou causar a morte desses seres. Quando causam a morte das bactérias, são chamados de bactericidas, mas quando apenas inibem seu crescimento, recebem o nome de bacteriostáticos.

    Por quê as bactérias ficam resistentes aos antibióticos?

    A resistência antibiótica é a capacidade de um micróbio ou bactérias de resistir aos efeitos da medicação anteriormente utilizada para tratá-los, como antibióticos.

    A resistência surge através de uma das três maneiras seguintes:

    -resistência natural em certos tipos de bactérias;

    -mutação genética

    -por uma espécie que adquire resistência de outra.

    A resistência pode aparecer espontaneamente por mutações aleatórias; ou mais comumente após o acúmulo gradual ao longo do tempo e devido ao mau uso de antibióticos ou antimicrobianos.

    Os micróbios resistentes são cada vez mais difíceis de tratar, exigindo doses mais elevadas ou medicamentos alternativos, que podem ser mais caros ou mais tóxicos. Os micróbios resistentes a múltiplos antimicrobianos são chamados de "resistente a múltiplos medicamentos" (RMM); ou às vezes superbactéria.

    Em quais casos posso fazer o uso de antibióticos?

    Os antibióticos só devem ser utilizados quando necessário, conforme prescrito pelos profissionais da saúde. O prescritor deve aderir aos cinco direitos da administração de medicamentos: o direito do paciente, o medicamento certo, a dose certa, a via correta e o tempo adequado.

    Os antibióticos de espectro estreito são preferidos, quando possível,em relação aos antibióticos de amplo espectro, uma vez que a alocação efetiva e precisa de organismos específicos torna a resistência menos provável. Os medicamentos devem ser tomados antes do tratamento quando indicado e o tratamento pode mudar de acordo com o relatório de susceptibilidade.

    Estes, aumentam a pressão seletiva nas populações bacterianas, causando a morte de bactérias vulneráveis; isto aumenta a porcentagem de bactérias resistentes que continuam crescendo. Com a resistência aos antibióticos tornando-se mais comum, há uma maior necessidade de tratamentos alternativos.

    Conheça alguns antibióticos:

    Amoxicilina:

    É um dos mais famosos quando o assunto é “infecção bacteriana”. Em suma, é um antibiótico que se ativa contra as bactérias Streptococcus, Enterococcus, Haemophilus, Helicobacter, Moraxella, N. gonorrhoea, Salmonella, Shigellae e E. coli.

    Seu médico pode prescrevê-la para tratar infecções de pele, garganta, ouvidos, nariz, estômago, pulmões e infecções do trato urinário (ITU). No entanto, a amoxicilina não irá funcionar contra infecções causadas por vírus (como gripes e resfriados).

    Ciprofloxacino:

    De largo espectro, é indicado para o tratamento de diversas infecções, tais como: infecções no ouvido, olhos, rins, pele, ossos, órgãos genitais, cavidade abdominal, articulações, trato urinário ou trato respiratório e sinusite, em adultos. Além disso, o ciprofloxacino também é indicado no tratamento de casos de infecção generalizada no corpo.

    Pode ser encontrado na forma de comprimidos de 250 mg, 500 mg ou 1000 mg.

    Cefalexina:

    cefalexina pertence ao grupo das cefalosporinas. Sua ação pode ser apresentada como bactericida – destruindo processos infecciosos das bactérias causadoras.

    Essa substância pode ser indicada para o tratamento de sinusite bacteriana, otite média e para infecções do trato respiratório, do trato geniturinário, da pele, tecidos moles, ósseas e dentárias – tanto para crianças quanto para adultos.

    Levofloxacino:

    Levofloxacino é indicado no tratamento de infecções bacterianas causadas por agentes sensíveis à substância ativa, tais como:

    -Infecções do trato respiratório superior e inferior, incluindo sinusite, exacerbações agudas de bronquite crônica e pneumonia;

    -Infecções da pele e tecido subcutâneo, complicadas e não complicadas, tais como impetigo, abscessos, furunculose, celulite e erisipela;

    -Infecções do trato urinário, incluindo pielonefrite aguda;

    -Osteomielite

    Tetraciclina:

    É um medicamento antibiótico usado para o tratamento de infecções causadas por organismos sensíveis a suas substâncias, como: acne vulgar, onicomicoses, antrax, infecções geniturinárias, gengivoestomatite, granuloma inguinal, linfogranuloma venéreo, otite média, pneumonia, sinusite, faringite, tifo, sífilis, infecções bacterianas do aparelho urinário, infecção retal menor, enterocolites e amebíase. 

    É um medicamento indicado apenas para o uso adulto!

    Neomicina:

    É utilizada em casos de Infecções das vias respiratórias (pneumonia, broncopneumonia, amigdalite, faringite, laringite, sinusite, otite), infecções gastrintestinais (enterite, gastroenterite, colecistite, shigueloses, salmoneloses tifóide e paratifóide - inclusive em portadores crônicos), infecções gênito-urinárias (cistite, pielonefrite, prostatite, uretrite, pelviperitonite, endometrite, anexite, gonococcia), infecções dermatológicas (erisipela, piodermite, furunculose, abscesso) e outras infecções (linfangite, tromboflebite). Profilaxia antiinfecciosa no pré e no pós-operatório.

    Nebacetin:

    Nebacetin é uma pomada dermatológica contendo 5mg/g de sulfato de neomicina e 250UI/g de bacitracina zíncica. Embalagens com uma bisnaga de 15g ou 50g.

    Uso: Adulto e pediátrico / Aplicar diretamente na região em que está o mal que quer se curar

    Diprogenta:

    Diprogenta é um creme ou pomada indicado para inflamações na pele, causadas por dermatoses, no tratamento da psoríase, dermatite de contato, dermatite atópica, neurodermatite, líquen plano, eczema, intertrigo, disidrose, dermatite seborreica, dermatite esfoliativa, dermatite solar, dermatite de estase e pruridos anogenital e senil, em adultos e crianças.

    Tem como princípio ativo o dipropionato de betametasona e sulfato de gentamicina.

    Lincomicina:

    O cloridrato de lincomicina é indicado no tratamento de infecções severas causadas por bactérias aeróbias Gram-positivas, incluindo estreptococos, estafilococos e pneumococos.

    Avalox:

    É indicado para uso restrito adulto com:

    • infecções das vias respiratórias superiores e inferiores;

    - exacerbações (pioras) agudas de bronquite crônica;

    - pneumonia adquirida na comunidade (PAC) incluindo PAC causada por bactérias

    resistentes a alguns antibióticos*;

    - sinusite aguda.

    • infecções não complicadas de pele e tecidos moles (camadas mais superficiais da

    pele);

    • doença inflamatória pélvica não complicada (isto é, doenças do trato genital

    superior feminino, inclusive infecção das trompas e do endométrio, que é a

    camada que reveste o interior do útero);

    • infecções complicadas de pele e anexos (incluindo infecções do pé diabético);

    • infecções intra-abdominais complicadas, incluindo infecções causadas por várias

    bactérias, como abscessos.

    Otosporin:

    Otosporin é um medicamento indicado para quadros de otite externa ocasionada ou complicada por infecção bacteriana.

    Este fármaco tem como substância ativa a Hidrocortisona + Sulfato Neomicina + Sulfato Polimixina.

    Rovamicina:

    Este medicamento é destinado ao tratamento de infecções causadas por micro-organismos sensíveis à espiramicina, como os que causam manifestações otorrinolaringológicas (relativas ao ouvido, nariz e laringe), broncopulmonares (relativo aos brônquios e ao tecido pulmonar), na pele, genitais (em particular prostáticas – relativas à próstata), ósseas e estomatológicas (doenças na cavidade oral).

    Ciflox:

    Este é indicado no tratamento de infecções oculares causadas por microrganismos susceptíveis, quando for necessária a ação anti-inflamatória da dexametasona.