Economize em seus medicamentos

    Conheça o Dr. Entrega
    Tudo sobre úlcera

    Tudo sobre úlcera

    Dentro do nosso intestino e do nosso estômago, existe um muco especial para proteger as paredes dos órgãos do ácido estomacal (um ácido que o corpo libera para dissolver a comida e facilitar a nossa digestão), mas, às vezes, esse ácido pode reduzir esse muco protetor e danificar o revestimento do aparelho intestinal, podendo causar uma ferida interna, essa ferida é conhecida como úlcera.

    A característica mais comum dessa doença é a presença de uma queimação aguda no estômago e dificuldade para comer por conta do desconforto. Seu tratamento é fácil, mas se negligenciada, pode se tornar fatal.


    Você sabia? Se não for tratada corretamente, uma gastrite pode se tornar uma úlcera!


    O que é:

    Ocorre quando a camada de muco que protege as paredes do seu estômago é reduzida. Isso permite que os ácidos digestivos (que dilui a comida do seu estômago) consumam os tecidos que revestem o estômago, causando uma lesão interna.

    Vários sintomas estão associados à complicações estomacais. E quanto mais grave for, mais severos são os seus sintomas. Os sinais mais comuns da condição são: Sensação de queimação no abdômen (azia), náuseas, vômitos, inchaço, arrotos constante e refluxo gástrico.

    Pode ser facilmente curada, mas pode se tornar fatal se não houver o tratamento adequado com acompanhamento médico.


    Causas:

    Existem várias causas para o aparecimento deste incômodo, mas as mais comuns são:

    • fatores genéticos: Algumas pessoas estão mais propensas a apresentarem o problema ao longo de sua vida do que outras.

    • Uso excessivo de medicamentos: O consumo excessivo de antibióticos e anti-inflamatórios podem fragilizar a barreira protetora do estômago.

    • Infecção pela bactériaH. Pylori: a bactéria se multiplica no estômago rapidamente e enfraquece o muco protetor.

    • Consumo de álcool em excesso.

    • Estresse: situação que afeta as defesas da mucosa do estômago e favorece o surgimento de sintomas.

    • Alimentação: Uma alimentação desequilibrada, rica em gordura, açúcar e alimentos irritativos, como café, sodas ou pimenta podem agravar os sintomas e a progressão da condição e outras doenças gástricas.


    Tipos:

    O tipo da úlcera dependendo da área em que ela ocorre, assim recebendo um nome diferente:

    Gástrica:

    É o tipo mais comum e ocorre dentro do estômago.

    Esofágica:

    É a que ocorre dentro do esôfago e está muito associada com o refluxo.

    Duodenal:

    É a que ocorre na parte superior do intestino delgado.

    Hemorrágica:

    É o tipo mais grave, pois provoca graves sangramentos internos. Geralmente acontece quando o problema não é tratado corretamente.

    Refratária:

    É quando uma úlcera não foi curada após alguns meses de tratamento.

    De estresse:

    É um grupo de feridas internas encontradas no esôfago, estômago ou duodeno. Geralmente, é encontrado em pacientes muito doentes e extremamente estressados.


    Dicas:

    • Não pule refeições e não fique de jejum por longos períodos!

    • Diminua o consumo de cafeína, álcool e refrigerante. Eles são letais para pessoas com problemas gástricos.

    • Relaxe! Muitos problemas gástricos estão diretamente relacionados ao estresse.

    • Evite tomar anti-inflamatórios por longos períodos: O uso descontrolado e sem prescrição médica ocasionar a complicações gastrointestinais, além de outros problemas e efeitos colaterais.

    • Passe longe de frutas cítricas! Laranja, limão e abacaxi podem aumentar a acidez do estômago e, consequentemente, piorar o quadro gástrico.


    Diagnóstico:

    O exame mais pedido é a endoscopia digestiva, a qual consiste na inserção de um tubo flexível pela boca que capta imagens dos órgãos internos. Também pode ser feita biópsia para determinar se há a presença de H. pylori ou células cancerígenas.

    Por fim, exames de sangue complementares podem ser prescritos para identificar causas mais raras.


    Tratamentos:

    A alimentação é uma das principais chaves para o tratamento. Ela deve ser equilibrada e incluir a redução de cafeína, refrigerantes, álcool, chicletes, doces e pimenta, além de frutas naturalmente ácidas como laranja, limão e abacaxi. Uma dieta cheia de alimentos como vegetais, frutas (exceto as frutas ácidas), carnes magras, como frango e peixe, iogurtes naturais e grãos é recomendada.

    O tratamento também pode ser feito com o auxílio de medicamentos. Lembrando que a mudança na alimentação ainda é essencial para a melhora efetiva do problema. É recomendado o uso de medicamentos prescritos que diminuem a acidez do estômago, como antiácidos ou inibidores da acidez. Confira aqui os melhores medicamentos para úlcera.

    Encontre o médico ideal para tratar a sua úlcera ou qualquer outro sintoma que esteja te incomodando aqui.



    Remédios indicados:

    Omeprazol: É um medicamento muito indicado para úlceras benignas reduzindo a acidez do estômago. É muito famoso por sua eficiência com cicatrizações de problemas gastrointestinais após duas a quatro semanas de tratamento. Também é muito recomendado para o tratamento e erradicação da bactéria H. Pylori (que também causa a doença).

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Nexium:É um medicamento indicado para o tratamento de sintomas gastrointestinais associados ao uso de anti-inflamatórios, além de promover um alívio de sintomas gastrointestinais, como azia e dores estomacais.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Pariet: É um medicamento recomendado para o tratamento de úlceras benignas, além de outras doenças gastrointestinais como refluxo e erradicação da bactéria H. Pylori. Reduz a quantidade de ácido produzida pelo estômago, permitindo a cicatrização de e melhora da dor.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Tecta: Indicado para o tratamento de problemas e doenças gastrointestinais moderadas ou graves. Atua como redutor bloqueador do ácido produzido pelo estômago e, assim, diminuindo os sintomas de azia e dor no local.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Ranitidina: É um medicamento indicado para o tratamento e prevenção de úlceras associadas ao uso de anti-inflamatórios e pós-operatórias. Pode ser em formato de comprimido ou injetável.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Cimetidina: É um medicamento indicado no tratamento de problemas e complicações do sistema gastrointestinal, reduzindo a secreção ácida do estômago.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Claritromicina: É um medicamento recomendado para o tratamento de infeções e também para o tratamento da erradicação e redução feridas estomacais e outros problemas causados pela bactéria H. Pylori.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82

    Amoxicilina: É um antibiótico de amplo espectro muito conhecido por sua eficácia. É indicado para tratar infecções bacterianas, como a H. Pylori, reduzindo complicações gastrointestinais e possíveis feridas estomacais que ela pode ocasionar.

    • Aceratum

      Aceratum

      1 apresentações
      R$ 4,82
      R$ 4,82