Seu carrinho ainda está vazio!

Busque um medicamento e adicione aqui para entregarmos os melhores preços.
Cloridrato De Valaciclovir

Bula do Cloridrato De Valaciclovir

2 apresentações
a partir de R$80,30 Ver ofertas

BULA COMPLETA DO CLORIDRATO DE VALACICLOVIR PARA O PACIENTE

Cloridrato de valaciclovir 500mg

cloridrato de valaciclovir

comprimidos revestidos

500 mg

I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Medicamento genérico – Lei nº 9.787 de 1999.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES

cloridrato de valaciclovir 500 mg: embalagens com 10 e 42 comprimidos revestidos.

USO ORAL

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido de 500 mg contém:

cloridrato de valaciclovir...........................................................................................................556,275 mg

(equivalente a 500 mg de valaciclovir)

excipientes.....................................................................................................q.s.p. 1 comprimido revestido

Excipientes: celulose microcristalina, crospovidona, povidona, estearato de magnésio, corante FD&C azul nº2 laca de

alumínio, água (perdida durante o processo) e revestimento Opadry azul (hipromelose, dióxido de titânio, macrogol

(PEG 400 e PEG 6000), corante FDC azul nº2/índigo carmine laca de alumínio e polisorbato 80.

II) INFORMAÇÕES AO PACIENTE

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

O cloridrato de valaciclovir é um medicamento indicado para:

- tratamento de herpes-zóster;

- tratamento de infecções de pele e mucosa causadas por herpes simples, entre elas o herpes genital, e da recorrência

(ou seja, reaparecimento) dessas doenças;

- prevenção (e eliminação) da recorrência de infecções por herpes simples, entre elas o herpes genital;

- prevenção da infecção e da doença causadas por citomegalovírus em pacientes submetidos a transplante.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O cloridrato de valaciclovir é um medicamento que contém o antiviral valaciclovir. Após a ingestão do comprimido,

o valaciclovir é convertido rapidamente em outra substância, o aciclovir, que atua contra a doença.

O aciclovir age inibindo vários tipos de herpes-vírus: o vírus do herpes simples (VHS) dos tipos 1 e 2, o vírus

varicela-zóster (VVZ), o citomegalovírus (CMV), o vírus de Epstein-Barr (VEB) e o herpes-vírus humano tipo 6

(HVH-6).

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O uso do cloridrato de valaciclovir não é indicado para pacientes que apresentam sensibilidade ao valaciclovir, ao

aciclovir ou a qualquer componente do medicamento.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Principalmente em pacientes idosos, o médico deve ter o cuidado de assegurar uma ingestão adequada de líquidos e

evitar o risco de desidratação.

A dose do cloridrato de valaciclovir deve ser reduzida em pacientes com problemas nos rins. Como a diminuição da

função dos rins também é comum em idosos, pode ser necessário reduzir a dose nesses pacientes. Nesse caso, seu

médico deverá fazer o ajuste adequado da dose.

Deve-se ter cautela ao administrar altas doses do cloridrato de valaciclovir a indivíduos com doença do fígado.

O cloridrato de valaciclovir não cura o herpes genital ou elimina completamente o risco de transmissão. Além da

terapia com cloridrato de valaciclovir, recomenda-se a prática de sexo seguro.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

O médico deve considerar o estado clínico do paciente e os eventos adversos do cloridrato de valaciclovir ao avaliar a

habilidade do paciente de dirigir veículos ou operar máquinas durante o tratamento. Não houve nenhum estudo para

investigar o efeito do cloridrato de valaciclovir no desempenho destas atividades.

Modelo de bula – Paciente

Cloridrato de valaciclovir 500mg

Fertilidade

Estudos em animais mostraram que cloridrato de valaciclovir não afeta a fertilidade. No entanto, altas doses

parenterais de aciclovir resultaram em efeitos testiculares em ratos e cães.

Não foram realizados estudos sobre a fertilidade em seres humanos com o cloridrato de valaciclovir, mas, nenhuma

alteração na contagem de esperma, na motilidade e na morfologia foi reportada após 6 meses de tratamento diário

com 400 mg a 1 g de aciclovir em 20 pacientes.

Gravidez e lactação

Se ocorrer gravidez ou se você decidir amamentar durante o tratamento com o cloridrato de valaciclovir ou após o

término, informe seu médico. O cloridrato de valaciclovir só deve ser usado durante a gravidez e a amamentação se o

benefício para a mãe e/ ou o feto justificar o possível risco para o feto ou recém-nascido.

Existem dados limitados sobre a utilização de cloridrato de valaciclovir na gravidez.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando sem orientação

médica ou do cirurgião-dentista.

Interações medicamentosas

Não se identificaram interações clinicamente significativas com outros medicamentos, isto é, não houve interferência

importante no efeito do cloridrato de valaciclovir nem de outros medicamentos usados junto com o cloridrato de

valaciclovir. De qualquer forma, informe seu médico sobre qualquer outro medicamento que esteja usando antes do

início ou durante o tratamento.

Como o aciclovir é eliminado na urina, alguns medicamentos que também são eliminados pelos rins podem interagir

com o aciclovir por essa eliminação. Com isso, as concentrações sanguíneas do cloridrato de valaciclovir ou das

outras medicações usadas ao mesmo tempo podem aumentar.

Após a administração de 1 g do cloridrato de valaciclovir, a cimetidina e a probenecida aumentam a concentração do

aciclovir no sangue, pois competem por esse mecanismo de eliminação e reduzem a capacidade dos rins de eliminar o

cloridrato de valaciclovir. No entanto, não é necessário ajustar a dosagem, pois ainda assim os níveis de aciclovir

estão nos níveis terapêuticos seguros.

Foram demonstrados aumentos do aciclovir e do metabólito inativo de micofenolato de mofetila (um agente

imunossupressor usado em pacientes transplantados) quando esses medicamentos são usados concomitantemente.

Também, é necessário ter cautela e monitorar as alterações de função dos rins ao administrar cloridrato de

valaciclovir em altas doses (4 g/dia ou mais) junto com medicamentos que afetam outros aspectos da fisiologia dos

rins (por exemplo, ciclosporina e tacrolimo, medicações usadas em pacientes transplantados).

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de armazenamento

Mantenha o produto em sua embalagem original, em temperatura entre 15°C e 30°C.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aspectos físicos / Características organolépticas

Os comprimidos revestidos do cloridrato de valaciclovir 500 mg são de coloração azul claro a azul, em formato de

cápsula, biconvexos, apresentando uma linha de quebra em ambas as faces, sendo que em uma delas há a gravação

“V” e “5” em cada lado da linha de quebra.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma

mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Modo de uso

Este medicamento deve ser administrado por via oral (ou seja, ingerido pela boca).

Posologia

Tratamento de herpes-zóster

Modelo de bula – Paciente

Cloridrato de valaciclovir 500mg

A dose do cloridrato de valaciclovir para adultos é 1.000 mg (2 comprimidos) 3 vezes ao dia (8/8 horas) durante 7

dias.

Tratamento de infecções causadas por herpes simples

A dose do cloridrato de valaciclovir para adultos é de 500 mg (1 comprimido) 2 vezes ao dia (12/12 horas).

Na recorrência da doença ou infecção, o tempo de tratamento é de 3 ou 5 dias. Para episódios iniciais, que podem ser

mais graves, esse período pode ser estendido para 5 a 10 dias. Comece o tratamento o mais cedo possível. O

cloridrato de valaciclovir pode prevenir o desenvolvimento de lesões quando administrado no início dos sinais e

sintomas da recorrência de HSV.

Prevenção (supressão) da recorrência de infecções por herpes simples

Para pacientes adultos imunocompetentes, a dose do cloridrato de valaciclovir é de 500 mg (1 comprimido) 1 vez ao

dia.

Para pacientes adultos imunocomprometidos (deficiência do sistema imunológico), a dose é de 500 mg (1

comprimido) 2 vezes ao dia (12/12 horas).

Prevenção da infecção ou doença causadas por citomegalovírus (CMV)

Adultos e adolescentes (a partir de 12 anos de idade)

A dose do cloridrato de valaciclovir é de 2g (4 comprimidos) 4 vezes ao dia (6/6 horas) e o tratamento deve ser

iniciado o mais breve possível após o transplante dos rins. A duração do tratamento normalmente é de 90 dias, mas,

pode precisar ser estendida em pacientes de alto risco.

Pacientes com problemas nos rins

O médico deve ter cuidado quando o cloridrato de valaciclovir é administrado a pacientes com insuficiência da

função dos rins. É preciso manter uma hidratação adequada.

Tratamento de herpes-zóster e tratamento e prevenção (supressão) de herpes simples:

A dose do cloridrato de valaciclovir deve ser reduzida em pacientes com função dos rins significativamente

prejudicada, conforme apresentado na tabela abaixo.

Indicação terapêutica Clearance de

creatinina mL/min

Dose de cloridrato de

valaciclovir

Herpes-zóster 15-30

menos de 15

1 g 2 vezes ao dia (12/12

horas)

1 g 1 vez ao dia

Herpes simples (tratamento) menos de 15 500 mg 1vez ao dia

Prevenção (supressão) de herpes simples

- pacientes imunocomprometidos menos de 15 500 mg 1 vez ao dia

A dose do cloridrato de valaciclovir recomendada para pacientes que fizeram hemodiálise é a mesma utilizada para

os que têm clearance de creatinina menor que 15 mL/min. Deve ser administrada depois da hemodiálise.

Profilaxia (prevenção) de CMV:

A dose do cloridrato de valaciclovir deve ser ajustada para pacientes com função dos rins prejudicada, conforme

apresentado na tabela abaixo.

Clearance de

Dose do cloridrato de

75 ou mais 2 g 4 vezes ao dia (6/6 horas)

de 50 a menos de 75 1,5 g 4 vezes ao dia (6/6 horas)

de 25 a menos de 50 1,5 g 3 vezes ao dia (8/8 horas)

de 10 a menos de 25 1,5 g 2 vezes ao dia (12/12

menos de 10 ou diálise# 1,5 g 1 vez ao dia

# Em pacientes que necessitam de hemodiálise, a dose do cloridrato de valaciclovir deve ser administrada após a

realização de hemodiálise.

O médico deve monitorar o clearance de creatinina com frequência, especialmente durante períodos em que a função

dos rins se altera com rapidez. por exemplo, imediatamente após um transplante de rim ou enxertia. Se necessário, a

dose do cloridrato de valaciclovir deve ser ajustada adequadamente.

Pacientes com insuficiência hepática

A modificação da dose do cloridrato de valaciclovir não é necessária para pacientes com doença hepática (cirrose)

leve ou moderada (que mantêm a função de síntese hepática). Para aqueles com cirrose avançada (que têm a função

de síntese hepática prejudicada), os dados farmacocinéticos não indicam a necessidade de ajuste da dose; no entanto,

a experiência clínica é limitada.

Crianças

Não há dados disponíveis sobre o uso de cloridrato de valaciclovir em crianças.

Idosos

O médico deve considerar a possibilidade de problemas renais em idosos, ajustando a dose adequadamente e

mantendo a hidratação adequada do paciente.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não

interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer uma dose do cloridrato de valaciclovir, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se estiver próximo

do horário da sua próxima dose, não tome a dose esquecida. Não tome comprimidos extras para compensar o

esquecimento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Dados dos estudos clínicos

Reações comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): dor de cabeça, náuseas (enjoo).

Dados pós-comercialização

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): falta de ar, erupções na

pele, inclusive por sensibilidade aumentada à luz.

Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): vertigem (tontura),

confusão, alucinação; redução da consciência; desconforto abdominal; vômito, diarreia; coceira; problemas nos rins.

Reações muito raras (ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento): diminuição dos

glóbulos brancos do sangue (leucócitos), que são as células de defesa do organismo, principalmente em pacientes que

apresentam o sistema de defesa comprometido; diminuição do número de plaquetas do sangue, que são responsáveis

pela coagulação; reação alérgica grave; distúrbios neurológicos e psiquiátricos como: agitação, tremor, falta de

coordenação dos movimentos, dificuldade de articular as palavras e coordenar a fala, sintomas psicóticos,

convulsões, coma; aumento reversível nos testes de enzimas do fígado (ocasionalmente descritos como hepatite);

urticária (erupção na pele com manchas/placas vermelhas e coceira); angioedema (inchaço localizado por baixo da

pele); insuficiência aguda dos rins e dor nos rins.

Outros distúrbios

Houve relatos em estudos clínicos de insuficiência dos rins, anemia hemolítica microangiopática e diminuição do

número de plaquetas do sangue (algumas vezes esses distúrbios se combinavam) em pacientes com o sistema de

defesa gravemente comprometido, particularmente aqueles com doença avançada por HIV que recebiam altas doses

(8 g/dia) de valaciclovir por períodos prolongados. Isso foi observado em pacientes não tratados com valaciclovir que

têm as mesmas condições subjacentes ou concomitantes.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do

medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

Modelo de bula – Paciente

Cloridrato de valaciclovir 500mg

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE

MEDICAMENTO?

Ocorreram relatos de alguns sintomas em pacientes que receberam grande quantidade de valaciclovir: deficiência

aguda dos rins e sintomas neurológicos como confusão, alucinações, agitação, redução da consciência e coma.

Também, podem ocorrer náuseas e vômitos. É necessário cautela para prevenir a superdosagem (altas doses do

medicamento). Muitos dos casos relatados envolveram pacientes idosos e com problemas nos rins, que receberam

doses repetidas, por falta da avaliação da necessidade de redução apropriada da dosagem.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a

embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais

orientações.