Seu carrinho ainda está vazio!

Busque um medicamento e adicione aqui para entregarmos os melhores preços.
Ésio

Bula do Ésio

1 apresentações
a partir de R$47,90 Ver ofertas

BULA COMPLETA DO ÉSIO PARA O PACIENTE

(esomeprazol sódico)

Bula para paciente

Pó liofilizado para solução injetável

40mg

Ésio_po liof inj_V1_VP VERSÃO 01 da RDC 47 - Esta versão não altera nenhuma anterior

Página 1

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Embalagens com 10 frascos-ampola contendo 40 mg de esomeprazol .

Uso intravenoso

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada frasco-ampola contém:

esomeprazol base *..............................................................................................40 mg

excipientes**.................................................................................... q.s.p. 1frasco mL

* Cada 42,53 mg de esomeprazol sódico equivalem à 40mg de esomeprazol base.

**Excipientes: edetato dissódico e hidróxido de sódio

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

1. PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Ésio (esomeprazol sódico) é indicado como uma alternativa, quando a terapia oral não é apropriada. A terapia

intravenosa deve ser realizada apenas como uma parte do período de tratamento completo para as seguintes

indicações:

• Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE): doença que apresenta sintomas como azia, dor epigástrica (na

boca do estômago) e regurgitação ácida, causada pelo retorno do conteúdo ácido do estômago para a garganta.

• Ésio (esomeprazol sódico) também é indicado para prevenção de úlceras gástricas (lesões no estômago) e

duodenais (na parte superior do intestino) em pacientes de risco. São considerados pacientes de risco: pacientes

com idade acima de 60 anos; pacientes com desordens gástricas previamente documentadas; pacientes em uso

concomitante de anticoagulantes (medicamentos para prevenir a formação de trombos sanguíneos) e/ou

esteróides (medicamentos com ação anti-inflamatória e antialérgica); pacientes em uso de altas doses de anti-

inflamatórios não-esteroidais (AINEs) ou de múltiplos AINEs.

• Manutenção a curto prazo de hemostasia (fluidez do sangue nos vasos sanguíneos) e prevenção de

ressangramento em pacientes com úlceras hemorrágicas gástricas ou duodenais após terapia endoscópica (exame

que investiga doenças do esôfago, estomago e intestinos).

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Ésio (esomeprazol sódico) reduz a produção de ácido pelo estômago, através de um mecanismo de ação

específico chamado “inibição da bomba de prótons”.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve utilizar Ésio (esomeprazol sódico) se tiver alergia ao esomeprazol, benzimidazóis (medicamentos

para tratar infestação por vermes) ou a qualquer um dos componentes da fórmula.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Informe ao seu médico se durante o tratamento com Ésio (esomeprazol sódico) você apresentar perda de peso

sem dieta, vômitos, dificuldade para engolir alimentos, evacuar sangue vivo ou fezes escuras (tipo borra de café),

e se houver suspeita ou presença de úlcera, pois o tratamento com Ésio (esomeprazol sódico) pode aliviar esses

sintomas e retardar o diagnóstico.

Informe também se estiver fazendo uso de algum medicamento antirretroviral (medicamentos utilizados no

tratamento da AIDS), como o atazanavir e o nelfinavir.

Ésio (esomeprazol sódico) deve ser utilizado com cuidado em pacientes com problemas graves no fígado ou nos

rins.

Não se espera que Ésio (esomeprazol sódico) afete a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas.

Ésio_po liof inj_V1_VP VERSÃO 01 da RDC 47 - Esta versão não altera nenhuma anterior

Página 2

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Como não há dados disponíveis quanto à excreção de esomeprazol no leite materno, Ésio (esomeprazol sódico)

não deve ser usado durante a amamentação.

Ésio (esomeprazol sódico) deve ser utilizado com cuidado nas seguintes situações:

Em pacientes que estão tomando os seguintes medicamentos: cetoconazol, itraconazol, erlotinibe, diazepam,

fenitoína, varfarina, clopidogrel, cisaprida, tratamento da AIDS (atazanavir, nelfinavir e saquinavir),

amoxicilina, quinidina, claritromicina, voriconazol, digoxina, cilostazol, metotrexato, rifampicina e erva de São

João (Hypericum perforatum), pois estes medicamentos podem ter seu efeito alterado ou alterar o efeito do

esomeprazol pelo uso concomitante de Ésio (esomeprazol sódico).

A administração concomitante de esomeprazol tem sido relacionada ao aumento da concentração de tacrolimo

no sangue.

Não há dados disponíveis sobre o uso de Ésio (esomeprazol sódico) em crianças.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (temperatura entre 15°C a 30°C). Proteger da luz.

Após reconstituição com solução de cloreto de sódio 0,9%, o produto se mantém estável por até 36 horas se

armazenado sob-refrigeração (temperatura entre 2ºC e 8ºC) e por até 24 horas se armazenado em temperatura

ambiente (15ºC a 30ºC).

A solução reconstituída poderá ser diluída com solução de cloreto de sódio 0,9%, e poderá ser armazenada por

até 24 horas em temperatura ambiente (15ºC a 30ºC).

Características do produto:

Antes da reconstituição o medicamento se apresenta como pó branco ou levemente amarelado, isento de

partículas estranhas.

Após reconstituição com solução de cloreto de sódio 0,9%, apresenta-se como solução incolor a levemente

amarelada isenta de partículas estranhas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe

alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Ésio (esomeprazol sódico) deve ser administrado por via intravenosa (na veia), por um profissional de saúde

(médico ou enfermeiro). Ésio (esomeprazol sódico) é indicado como parte do tratamento, quando não há a

possibilidade de tomar medicação por via oral. Assim que for possível tomar medicação por via oral, o

tratamento passará a ser feito com esomeprazol comprimidos, mediante indicação de seu médico.

Modo de Usar

• Injeção

A solução para injeção (8 mg/mL) é preparada adicionando-se no frasco-ampola 5 mL de cloreto de sódio 0,9%

para uso intravenoso.

- Dose de 40 mg: 5 mL da solução reconstituída (8 mg/mL) deve ser administrada como uma injeção intravenosa

por um período de no mínimo 3 minutos.

- Dose de 20 mg: 2,5 mL ou metade da solução reconstituída (8 mg/mL) deve ser administrada como uma

injeção intravenosa por um período de aproximadamente 3 minutos.

• Infusão

A solução para infusão é preparada dissolvendo-se o conteúdo de um frasco-ampola em até 100 mL de cloreto de

sódio 0,9% para uso intravenoso.

Ésio_po liof inj_V1_VP VERSÃO 01 da RDC 47 - Esta versão não altera nenhuma anterior

Página 3

-Dose de 40 mg: a solução reconstituída deve ser administrada como uma infusão intravenosa por um período de

10 a 30 minutos.

-Dose de 20 mg: metade da solução reconstituída deve ser administrada como uma infusão intravenosa por um

período de 10 a 30 minutos.

A solução reconstituída não deve ser misturada ou coadministrada na mesma infusão com qualquer outro

medicamento.

O equipamento intravenoso deve ser sempre lavado com solução de cloreto de sódio 0,9% antes e depois da

administração de Ésio (esomeprazol sódico).

Posologia

- Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE)

Os pacientes que não podem fazer uso do medicamento pela via oral podem ser tratados por via intravenosa com

esomeprazol 20 a 40 mg uma vez ao dia. Os pacientes com esofagite de refluxo devem ser tratados com 40 mg

uma vez ao dia. Para prevenir a recidiva da esofagite de refluxo, recomenda-se a dose de 20 mg uma vez ao dia.

De modo geral, o tratamento intravenoso é de curta duração e a mudança para terapia oral deve ser realizada a

critério médico.

Não foram demonstradas a segurança e eficácia de Ésio (esomeprazol sódico) para o tratamento da DRGE em

pacientes com história de esofagite erosiva por mais de 10 dias.

- Prevenção de úlceras gástricas e duodenais em pacientes de risco

Para a prevenção de úlceras gástricas e duodenais em pacientes de risco, a dose recomendada é de 20 mg uma

vez ao dia.

-Manutenção da hemostasia e prevenção de ressangramento de úlceras gástricas ou duodenais

Administração de 80 mg por infusão em bolus durante 30 minutos, seguido por uma infusão intravenosa

contínua de 8 mg/h administrada durante 3 dias.

O período do tratamento parenteral deve ser seguido por terapia de supressão ácida com esomeprazol 40 mg, por

via oral, uma vez ao dia por 4 semanas.

Crianças: Ésio (esomeprazol sódico) não deve ser usado em crianças, pois não há dados disponíveis do uso em

crianças.

Insuficiência renal: não é necessário ajuste de dose em pacientes com insuficiência renal. Devido à experiência

limitada em pacientes com insuficiência renal grave, esses pacientes devem ser tratados com precaução.

Insuficiência hepática:

-Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE): não é necessário ajuste de dose em pacientes com insuficiência

hepática de leve a moderada. Para pacientes com insuficiência hepática grave, uma dose máxima diária de 20 mg

de Ésio (esomeprazol sódico) não deve ser excedida.

-Úlceras hemorrágicas: não é necessário ajuste de dose em pacientes com insuficiência hepática de leve a

moderada. Para pacientes com insuficiência hepática grave e úlcera hemorrágica, seguindo uma dose inicial em

bolus de 80 mg de Ésio (esomeprazol sódico), uma dose de 4 mg/h por infusão intravenosa contínua deve ser

suficiente para manter o controle ácido adequado.

Idosos: não é necessário ajuste de dose para idosos.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não

interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Ésio (esomeprazol sódico) deve ser administrado somente por um profissional de saúde (médico ou enfermeiro).

No entanto, se uma dose for esquecida, por favor, informe o profissional de saúde.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Podem ocorrer as seguintes reações adversas:

Ésio_po liof inj_V1_VP VERSÃO 01 da RDC 47 - Esta versão não altera nenhuma anterior

Página 4

- Reação comum (ocorreu entre 1% e 10% dos pacientes que utilizaram este medicamento): dor de cabeça, dor

abdominal (na barriga), diarreia, gases, enjoo, vômito, prisão de ventre e reações no local de administração.

- Reação incomum (ocorreu entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizaram este medicamento): inchaço

periférico, dificuldade para dormir, tontura, sensação de queimação/dormência na pele, sonolência, vertigem,

boca seca, aumento da quantidade das enzimas do fígado (este efeito só pode ser visto quando um exame de

sangue é realizado) e reações na pele (dermatite, coceira, urticária e erupções na pele).

- Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): leucopenia

(diminuição dos glóbulos brancos do sangue), trombocitopenia (diminuição das células de coagulação no

sangue), reações de alergia ao medicamento (inchaço, reação/choque anafilático), diminuição de sódio no

sangue, agitação, confusão, depressão, desordens do paladar, visão turva, broncoespasmo, inflamação na mucosa

da boca, infecção gastrointestinal causada por fungos, hepatite (inflamação do fígado) com ou sem icterícia

(presença de coloração amarela na pele e nos olhos), queda de cabelo, fotossensibilidade (sensibilidade da pele à

luz), dores nas articulações, dor muscular, mal-estar, aumento da transpiração e febre.

- Reação muito rara (ocorreu em menos de 0,01% dos pacientes que utilizaram este medicamento):

agranulocitose (ausência ou número insuficiente de glóbulos brancos granulócitos no sangue), pancitopenia

(diminuição de células do sangue), agressividade, alucinações, comprometimento da função do fígado,

encefalopatia hepática, desordens graves na pele (eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson e necrólise

epidérmica tóxica), fraqueza muscular, inflamação dos rins, ginecomastia (desenvolvimento das mamas em

homens), diminuição de magnésio no sangue (hipomagnesemia), hipomagnesemia grave que pode resultar em

redução de cálcio no sangue (hipocalcemia), hipomagnesemia que pode causar redução de potássio no sangue

(hipocalemia) e inflamação intestinal (colite microscópica).

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova indicação terapêutica e, embora as pesquisas

tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem

ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo

uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.